30/04/2013

Resenha: A Abadia de Northanger - Jane Austen

Título original: Northanger Abbey
Gênero: Romance
Páginas: 304
Editora: Martin Claret
Classificação: 5/5  
O livro A Abadia de Northanger, de Jane Austen, nos conta a história da jovem Catherine Morland, uma moça ingênua, porém cheia de energia e leitora voraz de romances góticos. Ela vive na zona rural da Inglaterra e é convidada pelos seus vizinhos - Sr. e Sra. Allen - para passar uma temporada em Bath, local conhecido por sua agitação e sofisticação. Chegando lá, ela logo faz amizade com Isabella Thorpe, e posteriormente com a Srta. Eleanor Tilney. O irmão de Isabella, John Thorpe, corteja Catherine a todo instante, principalmente nos bailes e demais eventos da sociedade em que a jovem está presente, assim como o irmão de Eleanor, Henry Tilney. Porém, é por este último que o coração da dama bate mais forte, e por quem ela se encanta logo de início. Ela quer ceder aos cortejos de Tilney imediatamente, mas sofre com a forte insistência e marcação cerrada de Thorpe.

Catherine está lendo Os Mistérios de Udolpho, de Ann Radcliffe, um livro de 1794 que relata incidentes de terror, dentre outros eventos sobrenaturais, tendo como pano de fundo um castelo misterioso e assombrado. O romance gótico mexe com a jovem de uma forma impressionante, a deixando cada vez mais cativa pela leitura.

Quando é convidada a conhecer a Abadia de Northanger, a residência dos Tilney, Catherine mostra o quanto a leitura de Os Mistérios de Udolpho está mexendo com a sua cabeça, e oscila entre a realidade e a fantasia, procurando por mistérios e por indícios criminosos ao redor da casa.

A Abadia de Northanger é, sem sombra de dúvidas, um dos livros mais cômicos de Austen. Aqui a autora faz uma espécie de sátira aos romances góticos da época, sobretudo aos escritos por Ann Radcliffe. O romance, claro, está presente no enredo, mas não chega a ser o tema central do livro, que, em sua essência, aborda a linha tênue entre fantasia e realidade, e todos os conflitos que isso proporciona. Narrado em terceira pessoa, conhecemos uma personagem ingênua e de boa índole, e que apesar de não ter muita malícia, se destaca por ser forte e enérgica.

"Ninguém que tivesse visto Catherine Morland quando criança teria imaginado que ela nascera para ser heroína. Sua situação na vida, o caráter do pai e da mãe, sua própria pessoa e disposição, tudo ia contra ela."

Ao contrário dos demais livros de Austen, focados exclusivamente no romance, aqui temos uma vertente nova, uma espécie de paródia a um gênero literário muito cultuado naquela época, os livros góticos. A Abadia de Northanger foi escrito por Austen quando ela era muito jovem e só foi publicado em 1818, após o falecimento da autora. Brilhantemente bem construído, cômico e com uma abordagem abrangente e levemente sutil, traça várias questões do cotidiano humano. As situações vividas pelos personagens são sinistras e excitantes, e só abrilhantam a trama ainda mais.

Catherine não se destaca nem pela sua beleza ou por inteligência demasiada, desconstruindo a imagem das heroínas extremamente belas e sábias dos romances góticos. Ela tem uma mente extremamente fantasiosa e não tem muitas ambições na vida, além de ler e de se divertir nas festividades da sociedade. Austen usa Catherine para desmitificar conceitos incrustados naquela época, muitos deles machistas, que associavam a leitura como um hábito de futilidade. A autora faz de sua protagonista uma verdadeira heroína, e defende a leitura como um prazer despretensioso, burlando o preconceito, sobretudo aos livros escritos pelas mulheres.

"Sua paixão por velhos edifícios só perdia para a paixão por Henry Tilney, e castelos e abadias costumavam ser o encanto dos devaneios que a imagem dele não preenchia. Ver e explorar as muralhas e as torres de um ou os claustros de outro foram durante muitas semanas seu ardente desejo, embora ser mais do que a visitante de uma só hora parecesse um desejo quase impossível. E, no entanto, iria acontecer, tendo contra si todas as probabilidades, pois podia ser casa, mansão, casa de campo, parque ou chalé, mas aconteceu de Northanger ser uma abadia; e ela seria sua moradora. Seus corredores longos e úmidos, suas celas estreitas e sua capela em ruínas estariam todos os dias ao seu alcance, e ela não conseguia reprimir completamente a esperança de alguma lenda tradicional, algum túmulo terrífico de uma freira ferida e desditosa."

Em suma, A Abadia de Northanger é um livro esplêndido e que faz um contraste brilhante entre realidade e imaginação, de uma forma cômica e repleta de significados. Amei a edição lançada pela Martin Claret - com uma capa muito bonita e uma diagramação belíssima - e só tenho a felicitar a editora por tal capricho. Em 2007, foi feito um filme desta obra de Jane Austen, com a Felicity Jones no elenco, que me encantou bastante, tanto pelo brilhantismo dos atores quanto pela fidelidade ao livro. Um romance inglês lindo, cômico, e que recomendo, com toda a certeza!

Confira o trailer do filme de A Abadia de Northanger:



19 comentários:

  1. Oi Nessa :)

    Não conhecia esse livro, também não sabia que quem tinha escrito ela era a diva Jane Austen agora quero muito ler !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  2. Oi :D

    Sabe, eu tenho interesse em ler esse livro, mas nunca o dei uma chance. Gosto muito da Jane e o fato de você achar esse livro em especial um pouco diferente, meio que uma paródia, uma boa razão pra me arriscar na leitura.

    Beijos,
    Gabi - Vida de Bookaholic

    ResponderExcluir
  3. OBrigada por divulgar o link lá no Jane Austen Soc. do Brasil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que agradeço Adriana! Amo os posts do grupo!
      Beijo!

      Excluir
  4. Ah que resenha perfeita! Eu adorooooooooooo esse livro! Bem, eu adoro tudo que é da Jane Austen! Leve, romântico e bem humorado! Leitura obrigatória para que gosta do gênero!

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro esse livro!!!! É divertido, sarcástico, irônico e muito crítico tanto em relação as normas sociais da época quanto o comportamento das pessoas em geral. Jane consegue criticar de uma maneira humorada e leve, só nas entrelinhas você descobre a real natureza de partes da narrativa. Adorei a resenha amiga.

    ResponderExcluir
  6. Eu quero ler!!!!
    Estou começando uma coleção de Austen agora, o que é um absurdo pra uma blogueira, mas antes tarde do que nunca. rsrsrs
    O livro parece incrível!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oiee Tampinhaa :)
    aaaaaaah, amei ler a resenha sobre o livro da minha Diva, ainda não li, contudo sei que irei amarK
    Também gosto de ler algo cômico, eeeeee, amo <3

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela resenha, nessa! Você pelo visto é realmente fã da autora, hein? Ainda não li nada dela, mas tenho curiosidade. Pelo que li das suas impressões, acho que não seria nada ruim conhecer a escrita de Austen por este livro.
    Beijo!
    docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Ah estou louca pra terminar minha leitura desse livro tive que parar um pouco estava lendo muitos livros ao mesmo tempo hehe, eu me interessei por alguns títulos de livros que os personagens mencionam parece uma leitura interessante, parabéns pela resenha

    bjos

    ResponderExcluir
  10. Olá :)
    Adorei a resenha. Nunca li nada da Jane, mas espero poder ler qualquer livro dela logo. Esse parece ser interessante.

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing

    ResponderExcluir
  11. Oie amiga
    Você sabe que sou apaixonada pela escrita da Jane, por isso estou louca para ler esse livro.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Li pela primeira vez uma obra de Austen apenas esse ano, que foi Mansfield Park.Gostei da escrita dela, apesar de não ter achado uma história brilhante. Pretendo ler outros dela, e, como você me motivou, vou por este também na lista.
    Bjs
    @moniqueQuimbely

    ResponderExcluir
  13. Oi Nessa, tudo bom?
    Estou com um livrão da Jane aqui em casa, mas é em inglês!
    Essa edição da Martin tá linda, acho que vou comprar!
    Esse livro é de bolso ou é normal?
    Adorei sua resenha!

    Tem promoção lá no blog
    endless-poem.blogspot.com.br

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sarah! Essa edição da Martin Claret é linda demais! Não é versão de bolso não, tamanho padrão. Recomendo. Beijo!

      Excluir
  14. Eu quero ler...O livro parece incrível e parabens pela resenha.BJS

    ResponderExcluir
  15. Concordo plenamente Esplêndido, também vi o filme que você deixou o trailer e foi muito bem adaptado!

    abçs Nessa

    livrorosashock.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Nunca li nada da Jane, talvez esse seja o primeiro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Eu não li o livro, assisti o filme. Ler Jane Austen é sempre uma boa pedida.
    Eu já assisti praticamente todos os filmes tirados das obras de Jane Austen, e sempre achei bom.

    ResponderExcluir