22/05/2013

Resenha: Louca pra Casar - Susanne Leinemann

Título original: Warterschleife
Gênero: Romance / Chick-lit
Páginas: 304
Editora: Europa
Classificação: 3/5
O livro Louca pra Casar, de Susanne Leinemann, nos conta a história de Nina, uma mulher de 35 anos, que vive em uma grande metrópole da Alemanha. Independente, Nina possui uma carreira profissional promissora, da qual se orgulha bastante. Ela não chega a ser uma mulher extremamente linda, mas possui os seus encantos que atraem bastante o sexo oposto e não dispensa uma boa aventura amorosa, que quase sempre termina na cama.

Porém, no âmago de sua alma, tudo o que Nina quer é ser amada genuinamente; ser única para alguém. Ah, e claro, ter um casamento perfeito, digno dos contos de fada. Mas sempre que começa a devanear a respeito, se lembra de sua irmã, Bete, que era uma mulher extremamente atraente e cobiçada, e que, depois de casada, se tornou uma dona de casa sem graça, com um marido ciumento à tiracolo e um casal de gêmeos que ocupa praticamente todo o seu tempo.

Apesar de alimentar muitas dúvidas a respeito do matrimônio, sobretudo ao cerceamento de sua liberdade, Nina decide que quer e precisa se casar. Mas achar o homem certo, amoroso e que também preze esse objetivo se mostra uma tarefa bastante árdua. Para tanto, ela conta com a ajuda de sua colega de trabalho Linda, uma mulher bem-sucedida, tanto profissionalmente quanto amorosamente, que lhe propõe uma série de regras, intitulada rules. Tais normas tem o propósito de reger a vida de Nina rumo ao altar, mas o seu futuro a levará para outras dimensões...

Louca pra Casar nos traz um chick-lit sobre uma personagem já na idade madura e que possui desejos não muito diferentes das mulheres contemporâneas: amar e ser amada. Narrado em primeira pessoa pela Nina, o início do enredo é meio lento, e a trama vai se desenvolvendo aos poucos. Por ser um romance do gênero chick-lit, esperava um pouco mais da história, ou seja, toques de humor e diálogos divertidos entre os personagens, e não consegui identificar isso no livro de Susanne Leinemann. O livro é bom, mas tais detalhes poderiam ter engradecido ainda mais a obra.

Nina é independente financeiramente e possui uma carreira de sucesso, trabalhando como lobista em uma empresa automobilística. Ela adora sair para curtir a night e não tem pudor em ir para a cama com alguém, mas no fundo, gostaria de conhecer um cara que a preenchesse totalmente e alterasse o compasso do seu coração. Apesar de muitas vezes relutar, seguida pelo exemplo de sua irmã Bete, ela quer ter o conforto e a segurança de um matrimônio, e quando recebe o auxílio de Linda, não hesita por um instante que seja.

Nina segue fielmente as rules propagadas por Linda, e isso não me agradou muito. Eu esperava um pouco mais de irreverência por parte dela, de atitude, e achei que ela seguiu tudo que lhe foi colocado sem pestanejar, mesmo deixando claro durante o livro que muito daquilo não lhe fazia feliz. Por ser uma mulher madura, de 35 anos, e ter uma certa vivência e experiência, achei que ela se deixou envolver muito fácil pela colega de trabalho, mostrando ser uma personagem mais volúvel do que especificamente desesperada para casar.

"O amor não precisa de um pedaço de papel. Eu também falava assim há algum tempo. É fácil dizer isso. Parece verdade, mas agora sinto que era errado para mim. Um amor informal não é menor, mas também não é nada além de um relacionamento. E conheço tudo sobre relacionamentos. Eles podem se arrastar no tédio por anos, sem que as pessoas admitam para si mesmas. Esse tipo de amor é como um barco com uma corda frouxa. Todas as noites você amarra a corda no pontão e de manhã verifica se o bote ainda está lá. Um dia o mar fica bravo, a corda se solta e seu relacionamento vai embora em silêncio. No pontão, uma mensagem. 'Sem mágoas. Vivemos bons momentos.' Até uma separação legal é melhor que isso. Pelo menos há uma discussão acalorada. O amor não precisa de um pedaço de papel - essa frase só significa uma coisa: essa é apenas uma tentativa, talvez dê certo. Se não, tudo bem. Não tem problema, nada importante."
Em suma, Louca pra Casar é um livro bom, mas não surpreendente. Se a autora tivesse intercalado a trama com mais humor e diversão, e trabalhado um pouco mais a personagem, poderia ter alcançado um resultado melhor. A capa é simples e a diagramação está excelente. Este é o primeiro livro que leio da Editora Europa e devo salientar o capricho e o cuidado que a mesma teve com sua diagramação, com um trabalho de revisão impecável, fonte em um bom tamanho e gravuras fofas no início de cada capítulo. Realmente, estão de parabéns! Apesar do livro não ter superado as minhas expectativas, foi uma boa leitura e não deixo de recomendar, salientando que não criem muitas expectativas em relação a obra.

15 comentários:

  1. Gostei da resenha! Eu não leria... Não gosto muito de chick-lit e se não tem humor ai a coisa complica mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa :)

    Nossa adorei sua resenha como sempre magnifica, eu já conhecia esse livro através da minha tia que leu e não gostou muito, por isso não me interessei mas agora acho que vou pedir emprestado a ela, beijos :D

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  3. Acho que vou gostar desse livro Vanessa!!! Gostei bastante da resenha e mesmo a autora tendo pecado em alguns critérios eu tenho quase certeza que a narrativa é daquelas que vai me agradar bastante.

    Ótima dica!!

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Nessa parabéns pela sua resenha , graças a ela pude tirar minha duvida sobre este livro pois adoro comédia romântica o qual pensava ter no seu enredo valeu bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Nessa, já tinha ouvido falar desse livro, mas confesso que nunca me interessei muito, mas adorei a sua resenha.

    beijos, Lu

    ResponderExcluir
  6. parece ser um livro bem divertido na medida do possivel.

    ResponderExcluir
  7. Oie amiga
    Parabéns pela resenha.
    Confesso que não tenho muito interesse, pois como você disse faltou alguns detalhes na trama e deixou a desejar. Não sei se leria.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Eu adoro chick-lit, mas pelo que vc fala este deixou um pouco a desejar, né?
    Gostei da sua resenha, ainda não conhecia o livro. Se eu tiver oportunidade o lerei.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  9. Bom diaNessa,

    Mais um livro que fico conhecendo aqui no seu blog....me parece interessante apesar de não superar as suas expectativas....parabéns pela resenha...abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, nessa! Até hoje só li um livro do gênero e gostei bastante, e pelo que pude ver pelas suas impressões, esta obra é boa, mas não passa disso, visto que não tem o essencial para um livro do gênero. Não sei se leria diante da descoberta desse fato.
    Beijo!
    docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas, confesso que não me chamou muita atenção... ainda assim, pareece ser algo bom para se ler no tempo livre ^^"
    Parabéns pela resenha!

    Beijos
    @PollyanaCampos
    entrelivrosepersonagens.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Me interessei por esse livro, mas achei que seria mais divertido, mais engraçado, mas mesmo assim, pretendo lê-lo.
    Beijos e boas leituras Nessa : )

    ResponderExcluir
  13. Olá Nessa!
    Bom este livro não sei lhe dizer se me agradou ou não.
    Acho que os pontos que você ressaltou na resenha meio que me brochou(hahahahaha).
    Bom eu não sei,mas a maioria dos Chick-lit são mais comedias românticas do que romance,e senti falta disso na sua resenha.Então este livro trás uma oportunidade de dar aquelas gargalhadas?Se caso você disser que sim,ai eu me arrisco a ler(hahahahaha).

    A resenha esta ótima!

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
  14. A foto de umas amigas minhas bem poderiam ser a capa desse livro... kkkkk

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
  15. Interessante... mas não mato meu porquinho de moedas por ele kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir