02/01/2014

Resenha: As Virgens Suicidas - Jeffrey Eugenides

Título original: The virgin suicides
Gênero: Clássico norte-americano
Páginas: 232
Editora: Companhia das Letras
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
As Virgens Suicidas,  livro de estreia do norte-americano Jeffrey Eugenides, foi publicado em 34 idiomas e teve uma adaptação para o cinema, dirigida por Sofia Coppola. Logo após a sua publicação, a obra se tornou um verdadeiro cult da literatura norte-americana, pela sua abordagem clara e sucinta do universo adolescente, de uma forma crua e melancólica.

A história se passa nos anos 70, em um bucólico subúrbio dos Estados Unidos e nos narra o suicídio de cinco irmãs adolescentes - Cecília, Lux, Bonnie, Mary e Therese - que, sem um motivo aparente, resolveram cometer tal atrocidade contra as suas vidas, de forma sequencial. A família Lisbon, da qual pertenciam as garotas, vive de uma forma meio que arcaica, sob duros regimentos morais e religiosos, em uma época em que a revolução sexual está eclodindo.

Um dos trunfos da trama é o leque de detalhes que nos é apresentado, dando uma riqueza ímpar para a história, ao ponto de torná-la tangível e até mesmo, cáustica. A passagem da infância para a adolescência se torna algo totalmente melancólico e incompreensível para as irmãs, justamente pelos conceitos familiares arraigados em suas mentes. Fica evidente que no lar dos Lisbon não há diálogos ou cumplicidade, apenas proibições e punições e que a matriarca em momento algum se preocupa com o bem-estar mental e emocional de sua prole, sendo seca e ríspida ao extremo.

Narrado em terceira pessoa - de uma forma em que o interlocutor deixa claro o quanto tinha acesso a vida das irmãs suicidas, mas em nenhum momento da história apresenta sua real identidade - , acompanhamos um enredo denso, que retrata a adolescência de uma forma nua e em alguns pontos, um tanto quanto taciturna.

"Ficamos sabendo que as meninas era gêmeas nossas, que todos existíamos no mesmo espaço como animais de peles idênticas, e que elas sabiam tudo a nosso respeito embora não entendêssemos coisa alguma sobre elas. Ficamos sabendo, enfim, que na verdade as meninas eram mulheres disfarçadas, que compreendiam o amor e também a morte, e que o nosso trabalho era apenas gerar o ruído que parecia fasciná-las."

Jeffrey Benevides não só soube retratar o quanto pode ser árdua essa passagem da infância para a adolescência como salientar a complexidade da alma feminina e seus dilemas. A riqueza de detalhes é tamanha, o que tornou a trama vívida e intimista, como se pudéssemos usufruir e padecer tudo aquilo pelo qual passaram as irmãs Lisbon. Os cheiros e sabores descritos, a profundidade do enredo, tudo foi magistralmente arquitetado, soando quase que palpável.

Em síntese, As Virgens Suicidas nos traz um enredo tenso e crítico, mostrando o quanto a incompreensão e a falta de interação social podem ter efeitos devastadores. O isolamento pelo qual as irmãs Lisbon passaram, a "superproteção" por parte dos pais e a intolerância foram os fatores predominantes da decomposição das mesmas. Em 1999, foi feita uma adaptação cinematográfica da obra, com Kirsten Dunst e Josh Hartnett no elenco, que foi bem aclamada pela crítica, até mesmo por se tratar do filme de estreia da diretora Sofia Copolla. Voltando ao livro, a capa é muito bonita e chamativa e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo. ☺

Confira o trailer do filme As Virgens Suicidas:



15 comentários:

  1. Parabéns pela resenha, nessa! Gostei bastante.
    Bom, já ouvi falar muito desse livro, mas até hoje não o li. Pela sua resenha e toda essa questão do suicídio e da passagem da infância para adolescência, fiquei interessada na obra.

    Um beijo!
    Doce Sabor dos Livros - Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido falar desse livro e parece ser realmente muito interessante
    Acho que vou procurar o filme para assistir,
    estou sem tempo para procurar livros novos

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Uauuu, Nessa!! Parabéns pela resenha. Vc escreve muito bem. Quando pensar em publicar algo com certeza fará sucesso...
    Gostei muito da estória e não conhecia o livro nem o filme. Fiquei bem interessa e envolvida com a premissa, achei tão dramático e tão tenso...
    Já add na minha lista de desejados.

    Bjão

    ResponderExcluir
  4. Oi flor,

    Esse é um livro que pretendo ler nesse ano :) com tantas resenhas positivas fica cada dia mais curiosa pela leitura.

    Beijos

    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  5. Acredito que não vou ler o livro, é drama demais creio eu e ultimamente estou fugindo de drama, apesar de que em minha fuga sempre pego um livro de drama por engano, daí me enfado mais. Por causa do momento não acredito que o leia.

    ResponderExcluir
  6. adorei a resenha,vou colocar o livro no topo da minha lista de comprar XD

    ResponderExcluir
  7. Nessa ja li muitas resenhas desse livro, mas nenhuma me entusiasmou a ler... até agora!
    vc foi brilhante
    nunca li algo que retratasse tão bem a obra e os personagens e mais ainda a complexidade da escrita do autor!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Primeira vez que leio uma resenha desse livro *.* Adoreii!!! Mais um para os desejados ;)
    Bjokas flor

    Samy Rabelo
    http://livroscomresenhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ola nessa parabéns pela resenha ,o livro é ótimo mas o filme é melhor ainda assista . bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Nessa, com certeza é um livro para dar grandes lições de vida, e eu tenho muita vontade de ler este livro, já ouvi falar do filme e eu queria poder ler antes e depois ver o filme.
    A capa deste livro é bem impactante...

    beijos Mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/2014/01/resenha-inferno-dan-brown.html

    ResponderExcluir
  11. Nossa esse livro parece bem intenso, fiquei curiosa depois da tua opinião, creio que a história vai me prender assim como aconteceu contigo.

    ResponderExcluir
  12. Já ouvi falar muito desse livro, parece trazer uma história bem densa. Quero ler e assistir a adaptação de quem tanto falam. Acho a capa muito bonita!

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
  13. Eu assisti o filme da Sofia e gostei bastante da história, fazendo crescer minha vontade em ler o livro. Saber que ele é tão bom assim (já que adaptações costumam ser um pouco diferentes) me deixou com mais vontade ainda. Tomara que eu consiga lê-lo logo. A capa é realmente linda :)

    Adorei sua resenha!
    Um beijo!
    http://lereaminhapraia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Estava com saudade de ler suas resenhas... hahaha
    Essa é a segunda resenha que leio do livro e sinceramente? Fiquei ainda mais curiosa para conferir a estoria.

    ResponderExcluir