27/01/2014

Resenha: Paixão de Primavera - Célia Xavier de Camargo

Edição: 1
Ano: 2011
Gênero: Romance espírita
Páginas: 360
Editora: Petit
Classificação: 4,5/5
Onde comprar: Submarino
O livro Paixão de Primavera, psicografado por Célia Xavier de Camargo e ditado pelo espírito de Leon Tolstói, nos traz um romance espírita bem embasado, que se passa na Rússia do século XIX. A história é norteada por amor e dor, ambos na mesma medida, e nos encanta por ser abrangente e não ficar focada apenas na doutrina espírita, relatando a trajetória de vida dos personagens de forma coesa e fluída.

Um bando de cossacos, cansados de lutar e da exaustão da viagem, resolvem acampar em uma aldeia simples e humilde nos Montes Urais, Rússia. Assim que chega no vilarejo, o líder dos cossacos, Yuri, fica encantado por uma bela jovem que dança lindamente entre os habitantes da aldeia, Ludmila. A atração entre os dois é recíproca, mas o bando de Yuri já tem uma data certa para deixar o local. Quando chega o dia de sua partida, a carroça que os transporta, acaba quebrando, o que adia ainda mais o momento de despedida. Completamente apaixonado e encantado por Ludmila, ele decide raptar a bela camponesa, mesmo contra a sua vontade, e a torna sua mulher.

Dimitri, um jovem que sempre foi amigo de Ludmila e de seus familiares, e que planejava pedir a mão da moça em casamento, fica inconformado com o ultraje dos cossacos e decide resgatar a sua amada, nem que precise derramar muito sangue para alcançar o seu intuito. A inocente e pura Ludmila vive um verdadeiro calvário. De desejada e objeto de adoração, ela acaba sendo traída e passa a padecer de uma vida miserável, cercada por muito sofrimento e dor.

Em Moscou, ela acaba indo parar no casarão de madame Trussot, uma cafetina da pior espécie. Quando a extravagante mulher lhe oferece ajuda, a jovem nem imagina onde está se metendo e acaba tendo que vender o seu corpo para sobreviver. Ela sofre nas mãos do conde Alexander, um homem obsessivo, que sempre a toma com bastante severidade e violência. Porém, em uma noite como outra qualquer, ela acaba conhecendo o rico comerciante Gregory, um homem bem diferente dos usuais que frequentam a mansão e que acaba lhe despertando a esperança de dias melhores. Ludmila é tomada por um sentimento arrebatador, uma verdadeira paixão de primavera, ao mesmo tempo em que tem que lidar com o forte inverno russo, traiçoeiro e destruidor de sonhos...

Paixão de Primavera se mostrou uma grata surpresa para mim. Diferente dos demais romances espíritas que focam na doutrina do espiritismo à todo custo, aqui acompanhamos um verdadeiro romance histórico, bem escrito, com personagens peculiares entre si e dotados de muitos sentimentos, tanto bons quanto ruins. Não que ele fuja do tema central, que é abordar a religião, mas consegue fazer isso de uma forma sutil, sem tornar o enredo pejorativo ou cansativo. Narrado em terceira e  também em primeira pessoa, acompanhamos uma história que se passa na Rússia do século XIX, um período de fortes dificuldades financeiras, e que nos traz uma mensagem muito bonita de amor e perdão.

Ludmila, no início do livro, é inocente demais, ao ponto de chegar a ser até mesmo boba. Porém, com as dificuldades que surgem em seu caminho, acaba amadurecendo e se tornando uma mulher de fibra. Ela sofre demais e precisa lutar muito para sobreviver, mas independente das mazelas que enfrenta, não perde a sua doçura e pureza de caráter.

Um fato interessante sobre o livro, que vale a pena ser destacado, é que o espírito que dita o romance é nada mais nada menos do que Leon Tolstói, o escritor russo conhecido por suas aclamadas obras literárias, entre elas, Anna Karenina. Ele nos revela - a grosso modo, já que se trata de um personagem secundário e também interlocutor da história - um pouco da sua jornada tanto no mundo físico quanto no espiritual e até a grave depressão que sofreu, o que acabou sendo uma espécie de canal para que ele buscasse a religião.

Em síntese, Paixão de Primavera nos traz uma história profunda e bem arquitetada sobre amor, perdão, e acima de tudo, esperança e fé. O livro foi muito bem escrito, de uma forma simples e fluída, o que torna a leitura um tanto quanto prazerosa. Como eu disse anteriormente, apesar do embasamento espírita, a trama consegue ser bastante abrangente, se tornando uma espécie de romance histórico. A capa é linda e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho, revisão de qualidade e ilustrações florais no começo de cada capítulo. Recomendo.

15 comentários:

  1. Oi Van!
    Eu li esse romance, e ele é fofo e emocionante \o/
    É uma ótima indicação!
    Bjks!

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa,

    Eu nunca li um romance espírita, e não acredito que seja o meu tipo de livro.

    Beijos,
    http://comoum-sonho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Que capa mais bonitinha. Não conhecia o livro, mas gostei muito da sua resenha. Não sou muito de ler esse gênero de livro, mas sempre dou uma chance.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Vanessa, não conhecia o livro, e me interessei por ele. Gosto de romances espíritas e saber que este ainda tem um belo romance histórico aumentou minha curiosidade.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  5. Olá Nessa,

    Gostei da capa desse livro que não conhecia, mas não faz meu estilo de leitura...abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oii!!
    Não sou muito fã de livros espiritas, mas o espirito sendo um escritor famoso na narrativa me deixou curiosa!
    Beijos

    Elidiane
    Leitura entre amigas

    ResponderExcluir
  7. Oi Nessa, já li este livro também, é um dos melhores no gênero, na minha humilde opinião.
    Claro que com esta capa linda, não poderia ser um livro ruim né.
    Também fiquei bem impressionada quando vi quem era o espírito a ditar a trama.
    Deu até vontade de reler...

    Beijoks, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, nessa! Cara, eu em geral fujo de livros que falem de religião. Mas eu gostei tanto da sua resenha que se tiver a oportunidade, lerei a obra. E sem mencionar a questão de ter dito a respeito do livro não ficar falando só do espiritismo e tal. Romances históricos... estou gostando disso!

    Um beijo!
    Doce Sabor dos Livros - Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir
  9. acho interessante ter a questão da fé e da doutrina sem ser forçado
    adoro o romance espírita!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Opá...livro de romance bacana não tinha lido o mesmo ainda,mas ler com certeza e parabéns pela sua resenha que sempre proporciona ainda mais no prazer ler .

    ResponderExcluir
  11. Então, eu sou espírita mas nunca li nenhum romance assim. O interessante que eu achei foi ser ditado por Leon Tolstoi, esse autor é demais! Fiquei super interessada em ler, mesmo mesmo! Parece super bom.

    http://theblancnoir.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Tenho esse livro, mas ainda não li. Primeiramente o que me chamou a atenção nele foi que se passa na Russia, e como amooo de paixão a Russia, não poderia deixar de querer ler. Pela sua resenha é uma história linda!! adorei.

    http://www.lostgirlygirl.com/

    bjos

    ResponderExcluir
  13. Oi Nessa!

    Não conhecia o livro, mas gostei do fato dele se passar na Rússia. Um diferente do que estamos acostumados na maioria dos livros e que bom que foca mais no romance e nem tanto na doutrina espirita, o que me deixa sempre com pé atrás. Ótima resenha.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. A autora e o título são totalmente desconhecidos pra mim, mas não posso deixar de comentar: QUE CAPA LINDA!

    Só li um romance espirita até hj, que foi da Zibia Gasparetto... por não ser o meu tipo de livro preferido demorei um pouco, mas gostei bastante.

    ResponderExcluir