07/12/2014

Resenha: Escravas de Coragem - Kathleen Grissom

Título original: The kitchen house
Gênero: Romance
Páginas: 336
Editora: Arqueiro
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O livro Escravas de Coragem, da canadense Kathleen Grissom, nos traz um história densa e tocante sobre escravidão, coragem e esperança. Tecida de forma bem detalhada, além de extremamente fiel a época em que o enredo foi ambientado, a obra é um verdadeiro apanhado sobre os tempos da escravatura, retratando todo os algozes e perjúrios que os negros sofreram nesse período e, acima de tudo, como sempre mantiveram acesa a chama de dias melhores.

Belle já enfrentava sérios problemas na fazenda Carvalhos Altos, preparando a comida da casa-grande e procurando se ocultar da visão de D. Martha e de seu filho, Marshall. Os dois não sabem que ela é a filha ilegítima do capitão James Pyke e acabam pensando o pior sobre a cordialidade do capitão com a escrava mestiça.

Durante a travessia da Irlanda para os Estados Unidos, a pequena Lavínia, de 7 anos, acaba perdendo os pais e sendo separada de seu único irmão. Ela é levada pelo capitão Pyke para a sua fazenda na Virgínia e acaba ficando sob os cuidados de Belle. Belle, por sua vez, sente um certo tormento pela responsabilidade que lhe foi imposta. A jovem garota tem problemas de saúde, não consegue reter comida no estômago, além de ser calada e não ter memórias sobre o seu passado. A aparência de Lavínia é um tanto quanto exótica também: a menina é branca e possui marcantes cabelos avermelhados. Belle sabe que no meio das pessoas em que foi criada, a cor da pele tem pouca importância e, aos poucos, acaba abrindo os braços para receber Lavínia.

Dá-se  início a uma saga que retrata a trajetória de uma escrava branca e seu amor incondicional e abnegado por sua família negra, tal como o verdadeiro significado dos laços de amor e ternura que unem as pessoas.

Quando comecei a ler Escravas de Coragem, logo imaginei que a história seguisse os moldes de A Escrava Isaura - clássico da nossa literatura nacional - , por possuir vários elementos em comum com a aclamada obra de Bernardo Guimarães. Porém, para a minha surpresa, me deparei com um enredo muito mais denso e abrasivo do que eu esperava, que retrata os pormenores da época da escravidão e o que os negros passavam nas mãos de seus senhores. As cenas foram descritas de modo impecável, sem poupar nenhum detalhe, o que acaba até mesmo nos provocando profundas emoções, principalmente por saber que este período, infelizmente, fez parte da história da humanidade, com todas as crueldades que lhe foram impostas no enredo. Os personagens são fortes, corajosos e meramente humanos, com todas as suas falhas e acertos, o que concedeu um senso de realismo bacana a trama. Narrado em primeira pessoa por Belle e Lavínia, sob pontos de vista alternados, acompanhamos a saga das duas pela fazenda Carvalhos Altos, bem como as batalhas que elas vivem diariamente ao lado de seus amigos, ou melhor dizendo, a "família" que as acolheram.

Belle é uma personagem corajosa, valente e de uma força descomunal. Ela sofre ao longo do enredo das mais variadas barbáries, mas continua firme, forte e convicta em seus ideais. O seu romance com Ben teve alguns detalhes que me desagradaram, mas a julgar pela época da trama e pelo modo como os dois viviam, são até compreensíveis. Acompanhar o seu afeto por Lavínia ir crescendo dia após dia é belíssimo e gratificante.

Lavínia, por sua vez, foi uma menina que logo cedo conviveu com a dor da perda e da solidão. Acolhida pelo capitão Pyke em sua fazenda, ela se mostra uma garota muito introspectiva e recuada mas, aos poucos, com todo o carinho que recebe de Mama Mae, Papa George e de seus filhos, se sente acolhida e abraçada. Ao longo da história, algumas de suas atitudes me incomodaram, principalmente sua submissão exacerbada. É notável que as mulheres desta época não tinham voz e viviam sob a sombra de seus maridos, mas por ela ter tido a criação que teve, acredito que deveria ser um pouco mais enérgica em suas decisões. Do meio do livro em diante, depois de sofrer maus bocados nas mãos de Marshall, ela acaba se tornando mais forte e corajosa, o que proporcionou ainda mais adrenalina ao enredo.

Escravas de Coragem é um retrato quase que palpável da escravatura, expondo os fatos deste período de forma crua e clara, sem maquiar ou ocultar nenhum detalhe. Os negros sofriam agressões físicas pesadas - o que culminou com a morte de muitos deles - , além de mutilações, torturas, estupros e outros tipos de violência, que foram anexadas a trama de forma intensa e impactante. Acima de tudo, o livro de Kathleen  Grissom nos mostra o verdadeiro significado da família e a força que os laços de ternura e afeto contém. A capa é muito bonita, além de condizente com o enredo e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

15 comentários:

  1. Oie, tudo bom?
    Eu gosto de histórias que falam sobre escravidão porque me fazem refletir sobre essa situação abominável que muitas pessoas eram submetidas no passado. No começo eu também pensei em uma trama parecida com Escrava Isaura, mas vejo que a narrativa é mais profunda que isso.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa!
    Eu adorei esse livro! Ótima indicação para os leitores!
    bjs!

    ResponderExcluir
  3. Nessa, histórias sobre escravatura é sempre envolvente e emocionante. É um cenário que sempre me conquista e me arrebata. Ainda mais por ser mais denso do que A Escrava Isaura.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 6 livros para escolher, kit de marcadores e 3 ganhadores.

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa, como vai?

    Eu sou louco nesse livro há tempos, mas ate hoje não li. Vou tentar comprá-lo agora em Dezembro para ler. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Já vi vários comentários positivos a respeito do livro, mas acho que não faz muito meu gênero. Ainda assim, parece ser uma história com um toque mais pesado, que nos faz encarar algumas realidades

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Nessa, gosto muito desse tipo de livro que nos faz "reviver" fatos históricos. Como dizem, quem não conhece a História está fadado a repeti-la. É realmente muito infeliz saber que essas coisas aconteceram num passado não muito distante. Parabéns pela resenha, sempre maravilhosa.

    PS: Estou um pouco triste porque não tenho recebido a newsletter no e-mail :( não sei o que pode ter acontecido.

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kemmy! Obrigada pelo comentário e pelo carinho de sempre! Sério que você não está recebendo a newsletter? Se inscreva novamente, please! Beijocas!

      Excluir
  7. Oi, Nessa! Como vai?
    Esta obra retrata muito bem a história, parece ter um assunto que ao mesmo tempo ensina e empolga, estou certo? Vale a pena ter cultura e uma ótima leitura, tudo mesclado como um só!

    Forte abraço!
    Vini - http://blogumjovemleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. flor tenho este livro aqui, comprei e sempre acabo recuando na hora de ler, não me sinto preparada para essa história!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi
    Gostei muito da sua resenha, pela capa eu imaginava que era um livro leve e suave, mas pela sua resenha já vi que tem partes bem fortes.
    Parabéns pela resenha,
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  10. Oiii. Não conhecia o livro, mas amei a sua resenha. Acho que não ia me agradar muito pelo tema retratado, mas deu para ver que a história te tocou bastante. Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie,
    nossa gostei bastante do livro.
    Não conhecia, mas vou anotar no skoob para não esquecer rs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Vanessa, tudo bem?
    Adorei a resenha! Nunca tinha ouvido falar no livro, mas gosto de histórias impactantes e verossímeis.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  13. O livro parece ser ótimo, mas muito denso, por isso não sei se o leria agora, quem sabe em outro momento?!

    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
  14. Olá Nessa,

    Esse livro é excelente e tem uma história tocante, recomendo com certeza, parabéns pela resenha...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir