29/04/2015

Resenha: Dois Garotos se Beijando - David Levithan

Título original: Two boys kissing
Gênero: Romance/Young Adult
Páginas: 224
Editora: Galera Record
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O livro Dois Garotos se Beijando, de David Levithan, nos traz um enredo intenso e polêmico e, acima de tudo, original. Baseando-se na história real dos universitários Matty Daley e Bobby Canciello que quebraram o recorde de beijo mais longo do mundo do Guinness World Records, com 32 horas, 30 minutos e 47 segundos, o autor nos traz uma trama que aborda a homossexualidade com clareza e coesão, escrito com maestria e dotado de uma sensibilidade ímpar.

Os dois garotos que se beijam são Craig e Harry. E não é um simples beijo: eles planejam quebrar o recorde mundial de beijo mais longo. Eles estão do lado de fora do colégio, ao ar livre, munidos de coragem e determinação, sob os holofotes da impressa e de uma multidão que os observa atentamente, tanto apoiando o seu gesto quanto desprezando. Apesar da forte ligação entre os dois, Craig e Harry não são namorados, mas já se amaram e ficaram juntos um dia.

Neste ínterim, várias histórias paralelas se desenrolam. Avery acaba de conhecer Ryan e está naquela fase de descobertas e até mesmo insegurança. Seu receio é ainda maior, já que precisa revelar para Ryan que é transexual e não sabe qual será a reação dele perante este fato. Já Cooper passa as noites em claro, de frente para o computador, criando contas falsas e seduzindo homens que jamais conhecerá na vida. Quando seus pais tem acesso ao seu mundo desconhecido, é como se o chão lhe faltasse sob os pés. Desnorteado, ele sabe que não irá conseguir enfrentar a fúria do pai, muito menos permanecer em casa.

Cada um desses personagens tem um estilo de vida diferente. Alguns são apoiados pelos pais plenamente, já outros não. Além se sofrerem com o inevitável coração partido, eles passam por bullying e diversos tipos de agressões verbais e físicas. Mas, acima de tudo, suas vidas estão intrinsecamente ligadas pelo amor e pela coragem, que lhes proporciona força e objetivo para vencer quaisquer tipos de tabu e preconceito.

"O amor é tão doloroso; como podemos desejar para alguém? E o amor é tão essencial; como podemos atrapalhar o progresso dele?"

Dois Garotos se Beijando é um livro intenso e pungente. David Levithan nos surpreende novamente com uma trama profunda e visceral, escrita com uma sensibilidade incrível. Engana-se quem pensa que a história gira em torno apenas do aclamado beijo, pois o autor nos apresenta um leque de diversidades em suas entrelinhas. Além de adentrarmos o mundo de Avery e de Cooper, o livro é narrado em terceira pessoa por uma geração que faleceu em decorrência da AIDS e que nos revela todos os seus anseios, sofrimentos e esperanças.

"Raramente somos unânimes em relação a alguma coisa. Alguns de nós amaram. Alguns não conseguiram. Alguns foram amados. Alguns não foram. Alguns nunca entenderam para que tanta confusão. Alguns queriam tanto que morreram tentando. Alguns juram que morreram de coração partido, não de AIDS,"

O beijo de Craig e Harry não aconteceu por mero acaso ou ironia do destino. Um amigo deles foi vítima de bullying e ficou gravemente ferido. Aquilo os revoltou de uma forma tão profunda que eles resolveram não só quebrar um ranking mundial como também protestar contra aquele ato infame e vil e de quebra brindar a liberdade e a autoaceitação de si mesmos. Com Avery conhecemos todas as aflições vivenciadas por um transexual e a concepção da sociedade a respeito disso. Suas idas ao banheiro, o julgamento das pessoas que se acham melhores umas que as outras, além de viverem à margem de uma sociedade medíocre e estigmatizada, dentre outros tópicos. Cooper passa por um verdadeiro drama familiar e sente o seu mundo desabar. Suas aflições são quase que palpáveis, bem como sua dor e as suas atitudes advindas disto.

Em suma, Dois Garotos se Beijando, assim como Todo Dia e Will & Will - obras anteriores do autor - , vem para alertar a sociedade a respeito do amor. Do amor verdadeiro, genuíno e imaculado, sem precedentes, que transcende peso, etnia, cor, raça e sexualidade. Um amor único e universal que impera o coração apenas daqueles seres mais evoluídos e esclarecidos, livre de preconceitos e de qualquer tipo de sectarismo. A capa do livro nos retrata Harry e Craig desenhados através de palavras e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo. ☺

14 comentários:

  1. Oi, Nessa! Eu também gosto de histórias assim porque nos fazem refletir, gostei da resenha e e com certeza vou ler o livro.

    Beijos,Lu Blog:
    Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  2. Oi Vanessa,
    Este livro é um dos livros que estava muito curiosa para ler uma resenha para ver se vale a pena comprar. E vc me convenceu... Vou comprar.

    Bjos

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nessa!
    Uau, que resenha linda. Eu simplesmente amei esse livro, amei a forma como o autor abordou o assunto, a sensibilidade da escrita e claro, as histórias dos personagens. Nenhuma forma de amor deve ser punida ou proibida, amor é amor.

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nessa!
    Já conheci a escrita do Levithan e me apaixonei.
    Estou louca pra ler esse livro. Todas as resenhas que já li, sóo falam coisas maravilhosas.
    Com certeza já está na miha lista de desejados.
    Beijos

    Construindo Estante || Curta a fan page

    ResponderExcluir
  5. Oi Nessa
    Achei sua resenha perfeita, passou uma visão geral da historia, com clareza. Estou bem curiosa para ler este livro, já que li os outros livros do autor e gostei bastante.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Vanessa,
    Ainda não li nada do autor, mas os comentários positivos sobre os seus livros me fazem crer que sua escrita e envolvente. Gostei da sua resenha e de conhecer sua trama.

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, nessa! Tudo bem?

    Gostei muito, muito da sua resenha. Se antes estava curiosa para ler esse livro, agora estou ainda mais - sobretudo diante da minha primeira experiência com o autor, com o livro Todo dia, embora o outro que li dele em parceria com a Andrea Cremer não tenha sido tão bom assim.

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Já escutei muita coisa boa sobre esse livro, queria ler pra provar ahahahahah :)
    [Eu acho o autor tão corajoso de tratar um assunto tão polêmico de forma tão aberta né?


    Gosteiii da sua resenha ^^
    eheheheh

    beeijos
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. oi flor, ainda não li nada do David e nem de algum dele em parceria, mas tenho muita curiosidade, um livro mente aberta sempre é bom!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Acho muito interessante a capa desse livro, apesar da fonte usada ser bem ruim, o desenho formado pelas palavras ficou bem legal.
    Nunca li nada de David Levithan, mas só vejo elogios e tenho muita vontade de conhecer sua escrita. Gostei muito da sua resenha, muito completa, fiquei bem curiosa pela leitura. Viva o amor!

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  11. Oi Nessa!
    Esse livro é lindo, indico para todos!
    Bjks!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Amiga!
    Que resenha MARAVILHOSA! Amei.
    Como já havia comentado com você, esse livro mexeu muito comigo e eu realmente o amei. É único em muitos aspectos.
    Fico feliz que tenha gostado também. :D
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    To com muita vontade de ler esse livro, adoro o David e não vejo a hora de poder conferir esse.
    Abraço!
    Leitura Fora De Série

    ResponderExcluir
  14. Olá Nessa,

    Só leio comentários positivos em relação a esse livro e a sua resenha não foi diferente,bom ver um livro atender nossas expectativas......abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir