10/05/2015

Resenha: O Pintassilgo - Donna Tartt

Título original: The Goldfinch
Gênero: Romance
Páginas: 726
Editora: Companhia das Letras
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O livro O Pintassilgo - romance vencedor do prêmio Pulitzer - da norte-americana Donna Tartt, nos traz uma história muito bem escrita e dotada de uma riqueza de detalhes surpreendentes. Seus personagens são bem heterogêneos entre si e se destacam pelas suas variadas e peculiares formas de enxergarem a vida. Com um enredo inteligente e original, que conduz o leitor a uma profunda reflexão durante vários momentos de sua leitura, a obra se engrandece por conter em sua escrita tanto o clássico quanto o contemporâneo.

Theo Decker, um jovem nova-iorquino de 13 anos, sobrevive milagrosamente a um atentado terrorista que ceifa a vida de sua mãe. Abandonado pelo pai desde criança, ele acaba ficando sob a tutela da família de um amigo de classe média alta. Sem conseguir se conectar com o atual ambiente em que vive, passando por boas e poucas no colégio em que estuda e, acima de tudo, sofrendo horrores com a ausência da mãe, ele se apega a uma importante e tênue lembrança dela: uma pintura atraente e singela que se torna a ponte de ligação entre ele e o submundo da arte.

A vida do garoto muda drasticamente quando seu pai alcoólatra, Larry - até então, ausente - resolve aparecer com a namorada e arrastá-lo para Las Vegas. Vivendo em uma casa mantida com o dinheiro de apostas, Theo logo faz amizade com Boris, um filho de imigrantes russos, muito bom de papo, brigas e confusões. E, assim, os dois passam madrugadas à fio, devaneando sobre a vida enquanto fumam maconha, cuidam do cachorro de Xandra - a namorada de Larry - e cometem pequenos furtos pelas imediações.

O período vivido em Las Vegas repercutirá de modo visceral na vida de Theo. Ele retorna à Nova York e passa a trabalhar em um velho antiquário, onde começa a atuar cada vez mais à margem da lei. Apaixonado e ao mesmo tempo em transe com os locais em que frequenta e, por conseguinte, com seus benefícios, ele adentra um universo único e acaba ficando no topo de uma perigosa conspiração. Nesse encontro entre passado e presente, velhas tensões e mistérios de outrora vem à tona, afetando a todos - indireta e diretamente.

"E se todas as suas ações e escolhas, boas ou más, não fizerem a menor diferença pra Deus? E se o padrão estiver predeterminado? Não, não - espera. Essa é uma pergunta que vale a pena considerar a fundo. E se nossa maldade e nossos erros forem justo aquilo que define nosso destino e nos leva pro bem? E se, pra alguns de nós, não houver nenhuma outra maneira de chegar lá?"

O Pintassilgo é tal como um clássico para a era atual, devido a sua grandiosidade e exatidão. Ele reúne em seu enredo a arte de todas as formas como a conhecemos, além de ser dotado de uma prosa elegante e detalhista, com uma trama repleta de reviravoltas e cenários perfeitamente capturados e sintetizados. A escrita de Donna Tartt é esplêndida e logo de início fica visível o talento da autora que, em alguns momentos, possui um estilo literário que se assemelha até mesmo a Charles Dickens. Narrado em primeira pessoa por Theo, de uma forma tão clara e ao mesmo hipnotizante, onde conhecemos a fundo os sentimentos do protagonista, o livro é arrebatador e mesmo possuindo várias páginas, conseguirá prender a atenção do leitor do início ao fim.

Theo é um personagem meramente humano, repleto de erros e acertos. Como já se poderia imaginar, a balança a seu favor pende mais para o lado negativo, o que só o torna um protagonista ainda mais intrigante. Por conhecermos a sua infância e o choque causado pela morte da mãe - bem como o bamboleio que virou sua vida, sendo jogado de um lado para o outro devido a ausência dela - é notável deduzirmos o porquê de seu caráter. Ele acabou não tendo uma estrutura adequada e tal como um animal de rua jogado ao relento, fez de tudo para sobreviver, o que acabou interferindo de forma brusca em sua personalidade. Não o julgo, não só pelo seu histórico mas por observar que os seus erros foram cometidos na intenção de acertar, logicamente que temperados com um pouquinho de ambição. Os personagens secundários da trama, tais como Theo, possuem as mesmas características - tanto em maior quanto em menor escala - e se destacam pelas suas exuberantes construções, bem como pelo dinamismo dentro da história.

"Quem foi que disse que a coincidência era a forma de Deus de permanecer anônimo?"

Em síntese, O Pintassilgo é um livro memorável e que faz jus a todas as premiações e elogios que recebeu até aqui. A autora soube tecer uma incrível sinfonia entre perda, obsessão e sobrevivência, de uma forma quase que pungente, que choca e ao mesmo tempo sensibiliza o leitor. Os personagens são meramente palpáveis e em alguns momentos, sentimos como se eles estivessem vivendo e respirando através das páginas. A capa é bem bonita e sublime, condizendo com o teor da história e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

12 comentários:

  1. i flor, eu ja conhecia esse livro, mas li muito poucas resenhas sobre ele, achei a trama interessante, mas não sei se leria por agora
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Nessa,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, que está na minha lista de desejados, ótima resenha....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Vanessa,

    Ótima resenha e anotei o nome o livro quero lê-lo, pois fiquei bem curiosa com ele.
    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Vanessa!
    Parece um livro forte e intenso, com uma história complexa. Gosto de livros assim!
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Oie Nessa,
    não conhecia o livro, mas confesso que não pareceu muito o tipo de livro que leio.
    Acho que desta vez vou deixar passar a dica

    bjs
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  6. Estou completamente apaixonada por essa capa, linda demaaaais! E eu amei o enredo, suepr interessante, gostaria de ler sim!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie Nessa =)

    Já tinha aquela pontinha de curiosidade de ler esse livro, mas depois de ler a sua resenha preciso começar a leitura urgentemente!
    A história parece incrível *-*

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  8. Oi Nessa!
    Ouvi muito sobre esse livro e a trama parece ser muito boa, sua resenha me deixou animado em ler :)
    Abraço
    Leitura Fora De Série

    ResponderExcluir
  9. Oi Nessa!
    Esse livro é lindo!

    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  10. Nossa, Nessa! Que livro que me chamou a atenção! Estou lendo outro vencedor do Pullitzer, e estou amando. Já coloquei esse na minha lista!

    Beijão, Guta!
    www.opinada.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, amiga!
    Quero muito ler esse livro. Parece ser uma leitura incrível. Sem falar que se possui traços de clássico já é um grande elogio a obra.
    Espero não me decepcionar.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Nessa
    Sou curiosa por este livro, já vi diversas resenhas dele. Quero ler.

    Beijos

    ResponderExcluir