07/12/2015

Resenha: O Estranho - Kyra Davis

Título original: The Stranger
Gênero: Romance erótico
Páginas: 160
Editora: Suma de Letras
Classificação: 2,5/5
Comprar: Submarino
O livro O Estranho, primeiro volume da trilogia Apenas Uma Noite, de Kyra Davis, nos traz um romance erótico não muito diferente do convencional, com uma mocinha até então inocente e um magnata sexy e poderoso. Confesso que achei a aproximação do casal instantânea demais e a indecisão de Kasie um tédio, visto que ela não sabe se rompe o noivado ou se sucumbe a paixão irresistível por Robert Dade. Como ponto positivo, destaco as cenas de paixão e sexo entre Kasie e Robert, que foram bem escritas e sensuais mas, que mesmo assim não conseguiram salvar o clichê erótico de Kyra Davis.

Kasie Fitzgerald sempre foi uma boa moça. Workaholic de carteirinha, a jovem sempre foi uma mulher responsável, confiável e extremamente fiel ao homem com quem vai se casar, Dave. Porém uma noite selvagem e impulsiva em Las Vegas não só lhe desperta novas experiências como também rompe todos os seus tabus...

Em uma mesa de cartas, ela conhece um homem sensual e intenso e logo aceita seu convite para tomar um drinque. A bebida leva a algo mais e ela acaba tendo uma noite tórrida de sexo com ele. Uma noite excitante e inesquecível, da qual Kasie nunca mais irá esquecer...

Ela acredita que nunca mais verá o sexy desconhecido, até que ele aparece inesperadamente na empresa que a jovem trabalha, fazendo com que ela se renda aos seus domínios - tanto na cama quanto no trabalho. O rico e poderoso Robert Dade é imprevisível e acaba levando Kasie para uma jornada intensa de prazer e desejo, fazendo com que ela sofra mudanças bruscas em sua conduta...

O Estranho nos apresenta uma história norteada pelo sexo e pelo poder. Por mais que a premissa do livro tenha sido bem vendida, ele não se difere dos demais romances eróticos que vemos por aí, com um casal formado por uma mocinha ingênua e até então inexperiente na área do prazer e um homem sedutor e envolvente, ou melhor dizendo, o típico garanhão. As cenas entre os dois são quentes e foram escritas com bastante sensualidade, mas isso não foi o suficiente para que eu pudesse me afeiçoar o livro. Faltou desenvolvimento no enredo e sobretudo, carisma e conexão com os personagens. Tudo acontece rápido demais, em ritmo deveras acelerado, fazendo com que a trama se resuma em apenas sexo e que deixe a desejar em inúmeros aspectos. Narrado em primeira pessoa, de forma clara e sucinta, o livro é o que chamamos de típico clichê e talvez agrade aos fãs deste gênero literário, algo que não aconteceu comigo.

Kasie sempre foi uma moça certinha e centrada, mas por influência de uma amiga - que acredita que ela deva dormir com um estranho antes de embarcar de vez em um relacionamento sério - acaba sucumbindo ao desejo e ao prazer com um desconhecido. O mínimo que se espera de alguém que realmente siga o molde de uma "pessoa certinha" é que ela relute diante de algumas situações e isso não aconteceu com Kasie. Pior ainda: ela continua mantendo tanto o relacionamento com o noivo quanto com o seu Don Juan de Las Vegas, mergulhando em uma indecisão que irrita até o mais calmo dos leitores.

Robert Dade é um homem intenso e irresistível.  Ele é extremamente sexy e atraente e a autora acertou a mão ao escrever este personagem. As cenas que ele protagoniza ao lado de Kasie são ardentes, incrivelmente sensuais e muito criativas. Simpatizei bastante com o personagem, por mais que o conjunto da obra não tenha me agradado tanto quanto eu gostaria.

Em síntese, O Estranho não agrega nada de diferente do que já vemos nos demais romances do gênero e acaba até mesmo enjoando em vista de tantos elementos parecidos. O que salva no livro de Kyra Davis são as cenas sensuais entre os protagonistas e Robert Dade, que se mostra um amante vivaz e criativo, mas fora isso o restante do enredo não conseguiu me surpreender. A capa retrata bem a essência do livro, ilustrando uma das cenas do começo da trama e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Apesar de não ter tido uma leitura plenamente satisfatória, vale a dica, principalmente para quem aprecia livros do gênero.

8 comentários:

  1. Oi Nessa, sua linda, tudo bem
    Eu sou romântica, Nessa, então prefiro livros hots que falem de amor, desejo, paixão, drama. Pelo visto esse livro não é um exemplo do que eu gosto de ler, já que o enredo foca mais o sexo do que a história propriamente dita. Mas para quem curte, como você disse, parece uma boa dica.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie Nessa,
    não conhecia o livro e só por ser Parte I já me desanimou. Estou fugindo de séries e erótico no momento, então vou deixar passar a dica, quem sabe em outro momento.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. é Nessa, também senti que o livro é mais do mesmo, e ja to meio enfadada desse clichê todo que se seguiu após 50 tons
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa!
    Já não gosto do gênero e com todos esses clichês, então...passo longe.
    Ainda bem que o Robert salvou a leitura um pouco para você.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Nessa
    Ainda não conheci este livro, mas fiquei interessada, apesar do assunto em si já estar meio desgastado. Gostei da dica.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/2015/12/video-comprinhas-no-black-friday.html

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa!
    Eu li esse livro e não encontrei nada de surpreendente na trama. Para mim, foi mais do mesmo :(
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  7. Me senti vendo uma versão de Crossfire, não?

    Passarei longe do livro.
    Beijos
    www.modaeeu.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá, Nessa.
    Não curto muito esse gênero; sabendo, então, que a obra pouco acrescenta e é recheada de clichês, não me interesso pela leitura.
    Ótima resenha.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de dezembro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir