18/06/2016

Resenha: Doutor Sono - Stephen King

Título original: Doctor Sleep
Gênero: Terror
Páginas: 480
Editora: Suma de Letras
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
Em Doutor Sono, sequência do aclamado O Iluminado, do mestre do terror Stephen King, encontramos uma continuação digna para um best-seller de tanto sucesso, além de contar com elementos sobrenaturais novos e excêntricos. Mais de trinta anos depois, Stephen King nos revela o que aconteceu a Danny Torrance, o garotinho sensitivo no cerne de O Iluminado, após sua abominável experiência no Hotel Overlook. A tática do autor foi fantástica e se mostrou uma verdadeira jogada de mestre, elucidando ainda mais o talento de King. Conhecer a nova trajetória de Dan foi uma experiência extasiante, bem como a personagem Abra Stone, uma garota de 12 anos com um forte poder extrassensorial e que se mostra uma menina bastante forte e corajosa.

Após ser assombrado pelos eventos do Hotel Overlook, Dan passou as décadas seguintes de sua vida lutando contra o alcoolismo, vício que acabou herdando do pai, Jack Torrance. Quando ele consegue se manter um pouco sóbrio, decide se mudar para uma cidade de New Hampshire, onde recebe ajuda dos Alcoólicos Anônimos e passa a trabalhar em uma casa de repouso usando seu dom de iluminação para promover conforto aos pacientes que estão morrendo. Com a ajuda do gato Azreel - que adentra o quarto dos pacientes que estão marcados para morrer - ele se torna o Doutor Sono.


Os destinos de Dan e da pequena Abra Stone se cruzam por conta de uma seita chamada Verdadeiro Nó, que vive como nômades, viajando em trailers pelas rodovias da América. Por mais que pareçam inofensivos - em sua grande maioria idosos, com roupas esfarrapadas e um estilo de vida cigano - o Verdadeiro Nó é um grupo quase imortal e que se alimenta do vapor exalado por crianças iluminadas quando são torturadas até a morte. E Abra está na lista desta macabra tribo...

Doutor Sono se mostrou uma continuação exuberante para O Iluminado e mesmo tendo uma diferença de mais de trinta anos de uma obra para a outra, Stephen King conseguiu arquitetar e interligar os enredos com maestria, esbanjando criatividade e originalidade. Ter conhecimento do que aconteceu com Dan após os episódios macabros do Hotel Overlook se mostrou um verdadeiro presente para os fãs, além de termos como bônus o ingresso de uma tribo sobrenatural que se alimenta de crianças iluminadas. Narrado em terceira pessoa - o que tornou a trama ainda mais ampla e panorâmica - o livro se sagrou uma verdadeira obra-prima, além de nos mostrar uma guerra épica entre o bem e o mal.

"Porque tudo que vai volta. Talvez seja sorte ou talvez o destino, mas, de qualquer maneira, volta."

Dan foi um dos personagens mais marcantes da trama. Agora, um homem de meia-idade ainda afetado pelos fantasmas de seu passado e em uma luta constante contra o álcool, ele resolve usar o seu dom para proporcionar um pouco mais de conforto para quem está passando desta vida para uma outra, tendo a ajuda do gato Azreel, popularmente conhecido como Azzie. Quando seu destino se cruza com o de Abra - uma menina com um dom poderoso e com uma das maiores iluminações já vistas - os demônios de seu passado voltam para assombrá-lo e ele se vê envolvido em uma batalha sem proporções pela alma e sobrevivência da garota. Dan passou por muita coisa até aqui e tal como seu pai, acabou buscando na bebida uma válvula de escape. Ao contrário do progenitor, ele não foi sucumbido pelo mal e até mesmo decide usar o seu dom para apaziguar quem está sofrendo nos momentos finais. Ajudar Abra foi uma espécie de redenção para Dan; uma reconciliação com o seu próprio passado. Ele teve Dick como mentor em sua infância e decide agir como o mesmo, lutando com cada fibra de seu ser para salvar e manter Abra em segurança.

"A vida era um disco, cuja única tarefa era girar, e que sempre voltava ao início."

Outro ponto a se destacar foi a tribo Verdadeiro Nó - um grupo quase imortal e que se alimenta de crianças iluminadas. King, mais uma vez, esbanjou uma criatividade descomunal ao tecer esta outra lacuna primordial da trama e nos criou vilões originais e praticamente inimagináveis. Dentre os antagonistas, vale destaque para Rose, A Cartola, que se mostrou um dos membros mais sanguinários e sagazes da seita.

Em síntese, Doutor Sono não só se mostrou uma continuação no mesmo patamar de O Iluminado, como também nos trouxe um enredo criativo e original, norteado por terror, redenção e, acima de tudo, por uma batalha épica entre o bem e o mal. Os personagens foram bem delineados e trabalhados na trama, especialmente Dan Torrance e Ava, por mais que não tenha se mostrado tão especial quanto o garotinho do Hotel Overlook, possui suas qualidades e valores. A capa é bem chamativa e nos traz a ilustração da Rose (Cartola) e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!

Confira resenha do volume anterior:

►O ILUMINADO

Confira o booktrailer de Doutor Sono:



11 comentários:

  1. Parabéns resenha! Mas só de saber que é terror já não leio kkkkkk
    Deixo o convite para conhecer meu blog: http://blogliterariodois.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie Nessa =)

    Tenho tantos blogueiros amigos que são fãs do King e eu aqui sempre adiando a leitura de algum livro do autor, por que sou medrosa rs...

    Estou vendo boas resenhas de Doutor Sono, mas tenho a sensação que se ler ele vou ficar sem conseguir dormir algumas noites XDD

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  3. Nessa linda, de verdade, as histórias do King não são pra mim, não consigo curtir!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa! Esse livro já está na minha lista, Essa capa é maravilhosa e a história parece ser espetacular, parabéns pela resenha ;**

    beijos,

    Jéssica Patrício - pitadadecinemaeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie,
    nossa confesso que não consigo gostar dos livros dele. Não me chamam atenção

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Vanessa!
    Ainda não li O Iluminado, mas que bom que Stephen King conseguiu dar continuidade de maneira satisfatória!
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  7. Oie Nessa
    ainda não li O iluminado, mas sou louca para ter todos os livros do Stephen. Esse parece ser maravilhoso.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Nessa, sua linda, tudo bem?
    Eu não li O Iluminado, mas vi o filme e confesso que não gostei. Nessa, já tentei ler dois livros do autor e não consegui, é descritivo demais, não sou o público alvo dele. Mas tenho duas dicas de livros deles em que os blogueiros comentaram que ele não foi tão descritivo, então, quem sabe, dou um nova chance a ele. Independentemente disso, para quem é fã, parece ser incrível, a sua resenha está muito bem escrita, ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá Nessa, tudo bem?

    Não li nada do Stephen King ainda mas tenho muita vontade e cada resenha que leio minha curiosidade só aumenta, vou colocar na minha lista com certeza.....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá Nessa, tudo bom?
    Gostei bastante da sua resenha, até leria o livro se não fosse muito com esse gênero, sou muito mole pra esse tipo de livro.

    Beijão e sucesso sempre!
    Aguardando o Gato Branco

    ResponderExcluir
  11. Oi Vanessa,
    Comecei a ler os livros do SK esse ano, depois de só assistir as adaptações. Certeza que o de Iluminado e a continuações devem ser tão bons quanto o filme do primeiro. Ótima resenha.

    beijos
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir