29/06/2016

Resenha: O Resgate no Mar Parte 1 - Diana Gabaldon

Título original: Voyager
Gênero: Romance histórico
Páginas: 592
Editora: Saída de Emergência
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
Em O Resgate no Mar Parte 1,  primeira parte do terceiro volume de Outlander, da americana Diana Gabaldon, Claire e Jamie se reencontram após vinte anos de distância. Acompanhamos a jornada de cada um dos personagens ao longo destas duas décadas separados, bem como as dificuldades e a solidão vivenciadas por eles. Neste livro, notei que o amor de Claire e Jamie se mostrou ainda mais forte e maduro com as provas enfrentadas pelos dois e apesar de ter me maravilhado com a obra de Diana Gabaldon, alguns pontos me soaram um pouco incoerentes.

Há vinte anos atrás, Claire Randall viajou no tempo e foi parar na Escócia do século XVIII, onde conheceu Jamie Fraser - o grande amor de sua vida. Porém, quando ela retornou para a sua própria época, ela pensou que seu amado havia morrido na Batalha de Culloden.

Agora, em 1968, Claire descobre com a ajuda do historiador Roger Wakefield - filho de Geillis e Dougal - que seu grande amor pode estar vivo. As lembranças do guerreiro escocês a perseguem por onde quer que vá e tanto seu corpo quanto sua alma clamam por ele. Porém, para confirmar as evidências, ela terá que fazer uma grande escolha: viajar no tempo para tentar reencontrar Jamie ou ficar com Brianna, a filha dos dois.

Jamie, por sua vez, está perdido. Depois de sufocarem a batalha da qual ele fazia parte, os ingleses se negaram a matá-lo. Longe de sua amada e absorto em um país devastado pela guerra e pela fome, o rapaz tenta a duras penas refazer sua vida.

As intrigas ficam cada vez mais audaciosas e perigosas e à medida que o tempo e o espaço se mesclam, Claire e Jamie precisarão encontrar força e coragem um no outro para enfrentar o que está por vir e no meio de tudo isso se reencontrarem...

O Resgate no Mar Parte 1 trouxe um toque especial de adrenalina para a saga de Diana Gabaldon. Por mais que seja um livro um pouco mais light em vista do primeiro e do segundo volume, a emoção toma conta da sua escrita, principalmente por conta do tão aguardando reencontro de Claire e Jamie depois de vinte anos de ausência. A autora conseguiu entrelaçar romance histórico com fantasia com maestria e perfeição, resultando num livro fenomenal e incrivelmente extraordinário. Alguns pontos me desagradaram na evolução da história, mas nada que ofusque o brilho da trama. Narrado em primeira e terceira pessoa - desta vez, contando também com o ponto de vista de Jamie - o livro nos trouxe uma história repleta de surpresa, amor, agonia, choque e felicidade.

Ao voltar para o seu tempo, Claire retomou o seu casamento com Frank, que criou Brianna como se fosse sua filha. Apesar de ser um pai maravilhoso, Frank mudou bastante com Claire, se tornando um marido frio e um pouco rude. Por mais que não tenha padecido da mesma dor que a de Jamie, Claire se viu presa a um casamento sem amor, além de dia e noite sentir falta do seu amado guerreiro escocês. O seu consolo durante todos esses anos esteve em Brianna, a linda garota ruiva filha dos dois. Quando Frank falece, ela busca informações sobre a Batalha de Culloden e detalhes sobre Jamie e, para sua surpresa, descobre evidências de que seu grande amor pode ter sobrevivido. Dividida entre o presente e o passado, ela decide voltar no tempo para reencontrá-lo. A viagem no tempo de Claire foi muito bonita e emocionante e o seu reencontro com Jamie majestoso e exuberante. O amor dos dois amadureceu e perdeu boa parte daqueles ares frenéticos de outrora, mas não deixou de ser forte e cativante, sobrevivendo à várias intempéries.

"Envolveu-me nos braços e puxou-me para junto dele. A memória do corpo é diferente da memória da mente. Quando eu pensava, imaginava e me preocupava, sentia-me acanhada e sem jeito, tateando no escuro. Sem a interferência do pensamento consciente, meu corpo o conhecia e respondia imediatamente ao dele, em perfeita sintonia, como se ele tivesse acabado de me tocar e todos esses anos não houvessem transcorrido."

Jamie, por sua vez, sofreu bastante. Massacrado pela guerra e tendo que abrir mão do grande amor de sua vida e de sua filha, ele prefere morrer do que viver. Porém, sua vida acaba sendo poupada pelos ingleses e ele amarga longos anos na prisão por traição. Desnorteado e perdido, quando se vê livre das grades, ele retorna à Lallybroch para ficar perto de Jenny, Ian e dos demais membros da família. Vivendo como refugiado e agora como contrabandista de bebidas, ele tenta refazer a sua vida. Jamie continua tão apaixonante quanto outrora e se torna praticamente um mártir, em vista de todos os sofrimentos que lhe foram incutidos. Uma coisa que me desagradou foi saber que ele se casou com Laoghaire, que quase fez Claire ser queimada injustamente na fogueira sob a falsa acusação de bruxaria. Vinte anos é um longo tempo e é claro que ele iria retomar sua vida neste ínterim, mas se casar justamente com Laoghaire foi um pouco demais pra mim depois de tudo o que aconteceu. Apesar de não ter engolido esse seu enlace, o mocinho continua no meu rol dos protagonistas mais apaixonantes de todos os tempos.

"Às vezes, vinte anos pareciam apenas um minuto, outras, pareciam um tempo realmente muito longo."

Em suma, O Resgate no Mar Parte 1 se mostrou um livro esplêndido e triunfante, repleto de detalhes e feitos históricos e com uma história de amor forte e atemporal. Diana Gabaldon soube conduzir o enredo com maestria e mesclar fantasia com romance histórico como que num passe de mágica. Vale ressaltar também alguns personagens secundários da trama que deram o brilho da graça neste volume, como Fergus, agora um homem formado e John Grey, o soldado inglês que outrora tentou salvar Claire e que aqui se mostrou tão intrigante quanto enigmático. A capa do livro segue o mesmo padrão das anteriores e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

Confiram as resenhas dos volumes anteriores de Outlander:

►A VIAJANTE DO TEMPO
►A LIBÉLULA NO ÂMBAR


7 comentários:

  1. Oi Nessa,
    Gente, como esses livros são grossos haha
    Mas ainda sim tenho vontade de lê-los, eu vi pouco da série de tv e super curti. Adorei a resenha.

    tenha uma ótima quinta
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa,
    estou doida para ler esta série, mas ainda não consegui comprar os livros.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oie Nessa =)

    Estou com esse livro aqui, mas para ler Outlander eu preciso estar completamente sossegada sabe. A narrativa da Diana me absorve de tal modo que não consigo pensar em outra coisa senão sua história. Além disso, sei que como ela é "cruel", vai partir meu coração, pisar e sambar em cima rs... então prefiro esperar mais um pouquinho.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  4. oi Nessa, eu admiro a obra de Diana, ela trabalha situações que curto, como as viagens no tempo, os amores que fazem suspirar, mas confesso que meu pique para a série sumiu um pouco, não leria por agora
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Nessa, sua linda, tudo bem?
    OMG!!! Fiquei arrasada, primeiro por pensar que ele morreu. Segundo por descobrir que ele não morreu e que eles poderiam ter ficado juntos, E por último com esse casamento que ele fez. Essa série realmente parece ser incrível, fantástica, eu sou louca para ler. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie Nessa
    eu morria de vontade de ler essa série, mas acho que é muito sofrida para o meu pobre coração rs
    um dia ainda assisto a série pelo menos.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nessa!
    Comecei a ler essa série, mas ainda estou bem início! Espero amá-la! <3

    Beijos,
    Elidiane - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir