14/07/2016

Resenha: As Violetas de Março - Sarah Jio

Título original: The violets of march
Gênero: Romance
Páginas: 304
Editora: Novo Conceito
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O livro As Violetas de Março, de Sarah Jio, nos traz um lindo romance que intercala o passado e o presente por meio de um diário e que nos traz mensagens muito bonitas e otimistas sobre o amor e os desígnios do coração. A história agregada em suas páginas é encantadora e apesar de ser escrita de forma bem sutil e refinada - características marcantes da autora - possui certa profundidade devido aos sentimentos retratados.

Emily Wilson é uma jovem bem-sucedida e uma escritora de grande sucesso que, apesar de tudo, não gosta muito de seu próprio livro. Ela tinha um casamento feliz e ideal que acabou se transformando em divórcio após Joel, seu marido, confessar que estava apaixonado por outra pessoa. Sentindo que sua vida está desmoronando e perdendo o propósito, ela resolve não se abater e decide fazer as malas e passar uma temporada em Bainbridge - uma ilha que visitava quando garota - tentando, assim, desparecer e se reorganizar.

Entretanto, um velho diário de 1940 acaba tirando o almejado sossego de Emily e se transformando no seu mais novo companheiro. Com o achado descoberto no fundo de uma gaveta, ela mergulha na leitura de uma biografia misteriosa que envolve os antigos moradores da ilha e tem relação até mesmo com sua própria vida. Sentindo um misto de estranhamento e comoção, Emily fica completamente embevecida por suas páginas e vivencia uma história que o destino irá se encarregar de escrever.

Assim como as violetas de março, que desabrocham fora de sua estação para provar que tudo é possível, a vida de Emily toma rumos improváveis e vigorosos, repletos de possibilidades e surpresas. O manuscrito de Esther retrata um amor forte e atemporal que irá aquecer o coração de Emily e lhe proporcionar uma viagem mágica pelo desconhecido e enigmático passado...

As Violetas de Março é um romance soberbo e bem orquestrado, que rompe o véu entre o passado e o presente para mostrar que tudo é possível, desde que se tenha amor, fé, confiança e perseverança. Tanto as partes contemporâneas, que nos descrevem o presente de Emily quanto as partes epistolares, que nos retrataram a bela e requintada história de amor de Esther, são dotadas de uma beleza ímpar, que transpassa a linha tênue entre o passado e o tempo atual como num passe de mágica. Narrado em primeira pessoa por Emily e com fragmentos exuberantes do diário de Esther, o livro se mostrou um romance primoroso e repleto de esperança.

"O grande amor perdura ao tempo, à mágoa e a distância. E mesmo quando tudo parece perdido, o verdadeiro amor vive."

Emily é uma personagem forte e que possui o dom de se reinventar. Ela cobra muito de si mesma e mesmo sendo um defeito, se torna uma válvula propulsora para que ela corra sempre atrás do melhor. Abalada com a separação e com o coração bastante dolorido, ela não se deixa abater e parte em rumo de novos ares. Buscando ideias e, acima de tudo, um escape para tudo o que lhe aconteceu, ela resolve ir para a casa de sua tia Bee em Bainbridge - seu refúgio desde a época de criança - sem imaginar o que o destino iria lhe reservar na pitoresca ilha. À medida que vai fazendo suas descobertas pelas páginas do diário de Esther, Emily também enxerga a si mesma naquelas entrelinhas e descobre que ainda existe um novo sentido para sua vida e que pode ser feliz novamente. O que mais admirei na personagem foi sua garra e determinação frente aos obstáculos enfrentados e a sua gama de vencer na vida. Mesmo quando surge um suposto triângulo amoroso na trama, envolvendo um ex-namorado da protagonista da época de adolescência e um morador misterioso e enigmático da ilha, ela permanece segura em suas convicções.

"O amor não era uma flor de estufa, forçado a brotar, ainda que relutante. O amor era uma erva daninha que explodia em flor inesperadamente à beira da estrada."

Os personagens secundários do enredo também foram bem construídos e carregam particularidades especiais. Esther é uma mulher forte e ao mesmo tempo delicada, dotada de muita personalidade. A doçura explícita de suas palavras me encantou quase que de imediato, bem como sua bela história de amor. Seu desfecho na trama foi inimaginável e reservou inúmeras surpresas. Bee, a tia de Emily, também se mostrou uma personagem muito carismática e doce, além de ter papel importante nos acontecimentos da década de 40.

Em suma, As Violetas de Março é um romance majestoso, soberbo e delicado. É uma história sobre o amor e a falta dele. Sobre almas gêmeas, a força do destino e as reviravoltas da vida. Acima de tudo, é um livro que brota esperança e profetiza tempos melhores. A capa é sublime e consegue transmitir as nuances do enredo e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho, revisão de qualidade e lindas ilustrações de violetas no começo de cada capítulo e também no rodapé das páginas. Recomendo, com certeza!

Confira o booktrailer de As Violetas de Março:



6 comentários:

  1. Oie,
    nossa li este livro faz muito tempo, acho que quando lançou.
    Não lembrava muito bem da história, mas adorei a resenha.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Uma história apaixonante!!!Mas eu não presto para leituras assim... fico chorando por tudo hahahaha!

    Bjinhos,
    ❥ Blog Amiga Delicada ❥ Fanpage ❥ Twitter

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu me lembro de ter visto esse livro e de ter sido cativada pela capa já de cara, mas nunca tinha lido uma resenha sobre ele. Puxa, que legal esse lance de passado e presente e que bom que, ao que parece, a autora conseguiu fazer isso sem tornar a leitura cansativa. Já estava me perguntando o porquê do título e simplesmente adorei saber das flores fora da estação. Vou levar isso pra vida!
    Se tiver a chance, com certeza lerei!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  4. o livro realmente é uma graça, Nessa!
    a trama de Jio é linda!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Não conhecia o livro, acredita? Mas fiquei bem feliz por conhecer, pois parece ser uma estória muito boa.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  6. Olá Nessa,

    Esse livro está na minha lista de espera de leituras, já passou da hora de iniciar a leitura dele, ótima resenha.


    Abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir