22/08/2016

Resenha: O Livro de Memórias - Lara Avery

Título original: The Memory Book
Gênero: Romance/Sick-lit
Páginas: 352
Editora: Seguinte
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O Livro de Memórias, romance de Lara Avery, nos traz uma história tocante sobre uma jovem forte e cheia de determinação. Mesmo em face de uma doença degenerativa e sem cura, Sammie não se deixa abater e procura fazer o melhor que pode com o tempo que lhe resta, escrevendo uma espécie de diário para a Sam do futuro, onde relata seus momentos especiais e também suas falhas. Ao contrário de muitos sick-lits, aqui senti que a autora não teve o objetivo de dramatizar a história e sim de relatar a coragem e a desenvoltura da protagonista frente aos novos acontecimentos e como ela gostaria de guardar pedaços importantes de sua vida para posterioridade.

Sammie sempre foi uma jovem cheia de sonhos e objetivos e ela tem um plano bem arquitetado para seu futuro: se formar no ensino médio como a melhor aluna da classe e deixar sua pequena e pitoresca cidade. E para cumprir sua meta, nada fica em seu caminho - nem mesmo a Niemann-Pick C - uma doença genética degenerativa, que aos poucos vai apagando sua memória e acabando com sua saúde física. Por isso, ao invés de desistir, ela simplesmente reformula seus planos.

E é a partir deste pressuposto que Sammie decide escrever o livro de memórias, onde registra anotações importantes e especiais para poder ler no futuro e jamais esquecer. Em seu livro diário, ela detalha todos os momentos de seu primeiro encontro com Stuart - um aluno aspirante a escritor pelo qual sempre foi apaixonada -, o quanto sente falta de Cooper, seu melhor amigo de infância, de quem ela acabou se afastando, dentre outros episódios de seu cotidiano. Porém, mesmo mantendo um relato registrado de seu dia-a-dia, manter suas lembranças intactas e conquistar seus sonhos se mostra mais árduo do que Sammie poderia imaginar...

O Livro de Memórias se mostrou um grata surpresa e conseguiu fisgar meu coração quase que imediato. Mesmo diante de uma sentença tão avassaladora, a protagonista decide ser otimista e derrama os seus mais profundos sentimentos no diário, esbanjando força, coragem e determinação. Não que a caminhada de Sammie tenha sido sempre reta e avante - afinal ela é humana e em muitos momentos também acaba se desesperando face ao que está enfrentando -, mas sua trajetória tem um propósito tão bonito e pungente que é impossível não se encantar. Narrado em primeira pessoa por Sammie, de forma bastante íntima e coesa, o livro conseguiu superar minhas expectativas e mexer com minhas emoções.

Sammie sempre foi uma das melhores alunas da classe e inclusive participa avidamente de um grupo de debates. Porém, em um dia como outro qualquer, ela é diagnosticada com uma doença genética rara e sua preocupação - tal como a do físico Stephen Hawking - não é o que isso irá causar ao seu corpo físico e sim o quanto o NP-C irá afetar sua memória e seu sonho de cursar a faculdade em Nova York. Mesmo diante de uma notícia tão forte e triste, Sammie encara sua condição atual de forma lógica e racional e procura extrair o melhor de si e de suas memórias para preservá-las e ajudá-la a se lembrar de quem um dia foi e de tudo o que conquistou. A força e a superação de Sammie em frente à sua doença foram admiráveis e contribuíram para o desenvolvimento da personagem ao longo da trama. Acompanhar seu relacionamento com a família e com sua amiga Maddie, suas primeiras incursões no campo amoroso e também seus arrependimentos e crises se mostrou algo bastante reflexivo, além de conseguir moldar muito bem a estrutura da protagonista.

"Se continuarmos estudando a história de nossos obstáculos, temos a oportunidade de banir o que há de tóxico no mundo. Teremos um propósito. Sejam os obstáculos pessoais, como uma doença, ou algo maior, como a injustiça social. Uma vez que passamos por cima deles, abrimos lugar para a esperança."

Entre os personagens secundários da trama, vale destacar o Cooper, que mesmo surgindo na história como maconheiro, mulherengo e irresponsável, me surpreendeu positivamente no enredo e conseguiu até mesmo me cativar com o seu carinho, companheirismo e sua doação em prol do próximo. Gostei bastante do Stuart e de sua forma um tanto lírica de encarar a vida, mas achei que faltou um certo tempero no personagem. Maddie, a melhor amiga de Sammie, se mostrou uma menina forte, determinada e dona de si e sua personalidade, mesmo que indiretamente, serviu de base e inspiração para Sammie.

"Você já parou para pensar que posso parecer segura porque você praticamente só me viu em situações que exijam que eu seja segura?"

Em síntese, O Livro de Memórias nos traz uma protagonista inteligente, confiante e ambiciosa, que se desenvolve ainda mais a partir de uma grande dificuldade e mostra todo o seu valor, força e potencial. Com uma história pungente e de linguagem bastante expressiva, Lara Avery nos presenteia com uma trama inesquecível, tocante e repleta de reflexões a respeito da vida e de seus desígnios. Vale ressaltar também a ampla pesquisa que a autora fez a respeito da Niemann-Pick e como conseguiu introduzir o tema em seu enredo sem torná-lo sobrecarregado de drama. A capa é simples e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!

13 comentários:

  1. Oi Nessa, sua linda, tudo bem?
    Todas as doenças são ruins, algumas são horríveis, dolorosas e infelizmente não possuem cura. Mas de todas elas, eu sempre acreditei que as doenças degenerativas são as piores. Acho que vou ficar impressionada com a coragem dela, pois como ela vai conseguir concluir o ensino médio se não consegue lembrar do que lhe ensinam? Já pensou amar alguém e depois não lembrar mais dessa pessoa? Acho que é o tipo de história que irá me marcar. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oiii Nessa

    Te confesso que fujo de sick lits. Só tenho um na minha listinha.
    O Livro de Memórias parece trazer uma história diferente, não tão lacrimogênea como outros livros de mesmo gênero. Gostei do perfil da protagonista, essa coisa de nãos er a terna vítima, mas forte e confiante.
    Acho que leria sim...

    Obrigada pela resenha

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  3. Que indicação maravilhosa! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da capa desse livro e amei o enredo. Gostaria muito de conhecer melhor essa história. <3
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Adorei a dica, esse livro parece ser muito bom. A capa é linda <3

    www.robsonvascovith.com

    ResponderExcluir
  6. Deve ser uma história linda... de tocar na alma, né? Imagino as dificuldades dela e a superação que o livro passa :D

    Bjinhos,
    ❥ AmigaDelicada.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nessa!
    Eu quero muiiito esse livro. Eu me apaixonei pela capa e saber que a história traz uma protagonista tão resignada é ótimo! Eu curto um bom sicklit e é sempre bom saber que esse foge da regra -- as vezes a gente cansa um pouco da inevitabilidade das coisas.

    bjs

    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie Nessa!
    Essa será uma das minhas próximas leituras, estarei começando hoje. Espero gostar bastante dessa história.
    Bjks!

    ResponderExcluir
  9. achei a proposta muito boa, esse lance de doença, de animo para a vida e de enredo mais tristonho me agrada pois sempre tem esse outro lado de mostrar que dá pra viver de maneira plena e sempre deixa uma lição

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Boa noite Nessa, tudo bem?

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui, achei interessante a maneira que a autora aborda o assunto sem deixar dramático e pesado, gostei....dica anotada.

    Abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Nessa,
    Quando vi este livro entre os lançamentos da seguinte, achei a premissa muito interessante mas confesso que estava com um pé atrás, com medo de que poderia virar um "novelão".
    Mas considerando os pontos que vc destacou, com certeza darei uma chance ao livro.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi, Nessa!
    Não tinha visto esse livro ainda, acredita! Que amor. Adoro histórias com personagens fortes e decididas, vou adicionar esse a minha listinha <3
    Beijos!
    Borboletas de Papel | Fanpage

    ResponderExcluir
  13. Oi Nessa!

    Eu não sou muito fã de sick-lit, mas gostei da descrição da personagem. Acho que leria só porque ela parece ser muito bem construída e confio em vc quando vc diz que não é sobrecarregado no drama rs

    Achei a capa lindíssima!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir