16/09/2016

Resenha: O Nome em Seu Pulso - Helen Hiorns

Título original: The name on your wrist
Gênero: Romance/Distopia
Páginas: 256
Editora: Farol Literário
Classificação: 4,5/5
Comprar: Saraiva
O Nome em Seu Pulso, livro de estreia de Helen Fiorns e premiado pelo Sony Young Movellist of Year Award, nos traz uma distopia interessante e personagens fortes e até mesmo sarcásticos. O romance foi bem introduzido na trama e apesar de ter o início um pouco lento, a história conseguiu alavancar e se mostrar bem interessante.

No mundo em que Corin vive, quando você ainda é criança, o nome de sua alma gêmea é marcado para sempre em seu pulso. Isso define o destino de todos de forma linear, mas se mostra um problema para quem gosta de quebrar as regras, especialmente para Corin.


Sem muitos amigos na escola, órfã de pai e com uma irmã problemática e uma relação turbulenta com a mãe, Corin é uma adolescente que se sente completamente fora de órbita. Para tentar passar a imagem de mais uma garota comum, ela se tranca em seu quarto, na companhia dos livros que baixa pela internet. Essa sua fuga da realidade não impede que seus questionamentos aflorem e que sua desconfiança a respeito do futuro se torne mais emergente, a ponto dela indagar para si própria se talvez possa nunca encontrar a pessoa para a qual ela está predestinada. Ou caso encontre, que ela não o ame, ou pior ainda, que ela talvez nunca queira ser encontrada por alguém...

O Nome em Seu Pulso se mostrou um livro interessante e nos trouxe uma distopia curiosa a respeito do amor e das almas gêmeas. Apesar de não fugir muito da temática das outras obras que estão no mercado, a escrita da estreante Helen Hiorns tem um ritmo envolvente e fluído - mesmo tendo iniciado a história de um modo um pouco arrastado - e os seus personagens são peculiares e fortes. Narrado em primeira pessoa por Corin, acompanhamos um mundo distópico onde cada ser já nasce predestinado para sua alma gêmea e onde uma protagonista vai mais além na busca da felicidade, ou seja,  na busca pela verdade por trás de tudo.

"Esta é a primeira coisa que lhe ensinam quando você entra na escola, antes de lhe ensinarem a se limpar e dar descarga depois de usar o banheiro; e antes de ensinarem a responder à chamada. Mas nem precisava. Seus pais lhe contam quando você está aprendendo a dizer seu nome; repetem inúmeras vezes enquanto você está aprendendo a dar seus primeiros passos vacilantes; é a sua canção de ninar quando você não pode ficar acordado até tarde. E, quando você entra na escola, as orientações são repetidas. Passam a fazer parte de sua psique. A partir do momento em que ele aparece pela primeira vez, você não revela a ninguém o nome em seu pulso."

Corin é sarcástica, forte e sabe se defender de tudo e de todos. Sempre com uma boa resposta na ponta da língua, a garota desafia todo o autoritarismo do sistema e mesmo sabendo que só deve se entregar para aquele ao qual tiver o nome gravado em seu pulso, namora tranquilamente e pouco se importa com a fama que leva pelo colégio. Por trás dessa sua imagem de garota irresponsável, se esconde uma verdadeira cética, uma pessoa extremamente curiosa e em busca de respostas ocultas e objetivas. Gostei da personagem pelo seu senso de justiça e pela forma como defende e protege Jacinta, sua irmã mais velha. A sua amizade com Colton foi enriquecedora e é justamente a partir daí que a trama cresce e ganha ritmo.

"Eu não tinha qualquer ilusão de que a vida real poderia ser como na ficção, porque a ficção estava cheia de heróis e personagens imperfeitos que viram o erro em seus caminhos, com crimes sendo resolvidos e amor vencendo o mal, ao passo que a vida era cheia de pessoas perturbadas que estavam apenas tentando fazer algo com o que a vida jogava para eles."

Colton se mostra um amigo prestativo e entra em alguns conflitos com Corin. Diferente dos demais, ele consegue compreendê-la perfeitamente e coloca todas as cartas dela na mesa, o que faz com que aconteçam alguns atritos entre eles. O jovem se mostra bastante companheiro e presente na vida de Corin e consegue mostrar todo o seu valor ao longo da trama. Uma personagem que me surpreendeu inesperadamente foi Jacinta. Ela surge na história como uma garota problemática e em alguns momentos, se mostra até mesmo um tanto egoísta, porém, no decorrer do enredo, vislumbramos uma personagem forte, corajosa e destemida.

Em síntese, O Nome em Seu Pulso se mostrou uma distopia interessante - mesmo sem fugir muito do habitual - e com uma escrita fluente e convidativa. Apesar de ter iniciado de forma bastante lenta, a trama vai ganhando velocidade no decorrer de suas páginas e conseguiu pegar ritmo de modo significativo. A capa é muito bonita e foi escolhida pelos próprios leitores em uma das enquetes da editora e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Apesar das pequenas ressalvas, não deixo de recomendar.


13 comentários:

  1. Oi Nessa!
    Ainda não conhecia o livro, mas achei interessante o enredo. Distopia, e essa questão das almas gêmeas, do amor. Fiquei curiosa.

    Beijos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amo distopia e achei o enredo duper interessante. ♥ O enredo é muito bem feito.♥
    Art of life and books

    ResponderExcluir
  3. Oi Nessa!

    Eu ando bem cansada de distopias condesso, mas gostei da descrição de Corin, acho que só por ela eu leria!! De qualquer forma adorei a resenha <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Eu gosto de distopia, mesmo que tenha a mesma formula de outros livros. Vou anotar essa dica para ler futuramente.
    Bjks!

    ResponderExcluir
  5. nunca havia me ligado nessa distopia, Nessa, mas com tantos bons elogios seus ela merece uma atenção especial
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oii Nessa

    Sou louca pra conferir esse livro, só escuto boas críticas sobre ele. Infelizmente, ele ainda não foi publicado aonde vivo, estou esperando a oportunidade de viajar pra poder comprar ele. Já está na listinha.

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  7. Oi Nessa, eu adoro distopias mas já faz um bom tempo que não leio um livro desse gênero, esse livro me pareceu muito bom, gostei da história e parece ter um algo a mais nele! Botei na minha lista ;*

    beijos,
    Jéssica - pitadadecinemaeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie Nessa =)

    Não conhecia esse livro, mas só pelo fato dele ser uma distopia e eu ser fã do gênero a premissa dele já me chamou a atenção. Além disso, pelo que deu para entender através da sua resenha ele é livro único, o que por si só já é maravilhoso, visto que tudo hoje em dia é série rs...

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  9. Oi Vanessa, tudo bem?
    Gostei da resenha! Eu já conhecia o livro e fiquei curiosa em ler, curto muito distopias e essa parece bem bacana.
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  10. Oie Nessa,
    não conhecia o livro ainda, mas não leria. Não faz muito meu estilo e passaria longe só pela capa e título hauhauha

    bjos
    Blog Vanessa Sueroz

    ResponderExcluir
  11. Oi Nessa, adorei essa resenha, o livro parece ser muito bom!
    Vou dar uma pesquisada para lê-lo mais rápido que puder.

    Mil beijos
    Moda e Eu

    ResponderExcluir
  12. Oi, Nessa!
    Ano esse gênero de leitura, e esse livro ainda não conhecia! Fiquei curiosa!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá Nessa,

    Mais um livro que fico conhecendo aqui e apesar de não gostar da capa gostei da premissa, mesmo com sua ressalvas...dica anotada...abraço.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir