03/10/2016

Resenha: Paixão Índia - Javier Moro

Título original: Pasión india
Gênero: Romance histórico
Páginas: 392
Editora: Planeta
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O livro Paixão Índia, do espanhol Javier Moro, nos traz um enredo envolvente e repleto de traços das culturas indiana e espanhola. A obra nos revela com riqueza de detalhes a verdadeira história da princesa de Kapurthala, que resultou em um dos maiores escândalos da Índia. Com uma narrativa rica, emocionante e minuciosamente escrita, Javier Moro nos brinda com um romance histórico belíssimo e repleto de encanto, paixão, alegria, solidão e tristeza.

 A jovem bailarina andaluza Anita Delgado tinha apenas 17 anos no início do século XX, quando um marajá indiano se apaixonou por ela e lhe deu o título de princesa e um verdadeiro palácio, mas não a transformou em sua única mulher.

Após chegar à cidade de Kapurthala em cima de um elefante elegantemente adornado, a nova princesa descobriu que o seu conto de fadas não era tão doce quanto imaginava e sofreu muito com o choque cultural entre dois mundos que se mostravam mais diferentes entre si do que ela poderia supor.

As outras quatro mulheres do marajá de Kapurthala, bem como os seus súditos mais fiéis, enxergavam em Anita uma verdadeira ameaça à tradição hindu e a jovem, por mais que se visse cercada de beleza e conforto, acabou vivendo na mais completa solidão. Corajosa e determinada, ela manteve a postura e permaneceu firme no lugar que acreditava ser seu, até que seu coração começou a bater de forma diferente.

Paixão Índia nos traz um enredo arrebatador sobre uma jovem bailarina andaluza e um rico e venerado marajá indiano, que acabou resultando em um dos maiores escândalos da história da Índia. Javier Moro, com maestria e requinte, soube nos contar a biografia de uma das figuras mais excêntricas e intrigantes que habitaram a Índia no começo do século XX de uma forma romântica e encantadora, tornando tal relato um verdadeiro romance histórico. Mergulhando fundo na história e nas memórias dos protagonistas e fazendo uma aplicada pesquisa de campo, o autor soube sintetizar todo o amor, paixão, desilusão, encanto e solidão que viveu Anita Delgado e retratá-la de um modo tão suave e refinado, com uma tez profunda de conto de fadas. Narrado em terceira pessoa, de forma ricamente detalhada e fluída, o livro me surpreendeu positivamente e conseguiu me encantar com sua bela história de amor.

Anita Delgado tinha apenas 17 anos quando chegou à Índia como esposa de Jagatjit Singh - o marajá de Kapurthala - , dezoito anos mais velho do que ela. A jovem bailarina andaluza de pele tão branca quanto a neve, encantou o marajá indiano e sucumbiu às joias, flores e palavras de amor que ele lhe ofertara, aceitando se casar com ele. Porém, ao chegar em terras desconhecidas, o choque cultural é quase que imediato e Anita descobre um mundo de orgias, palácios, carros de luxo e caçadas de tigres e javalis e passa a conviver com a mais devastadora e cruel solidão. Desprezada pelas outras mulheres do marajá e cada vez mais isolada, ela vive sua real história de amor e traição em meios aos odores e cores da Índia. Anita se mostrou uma mulher forte e cheia de personalidade, mesmo com todas as mazelas que teve que enfrentar. Ela era uma criança quando aceitou se tornar esposa do marajá e não sabia o que era o amor, sendo embalada pelo carinho e cuidado do príncipe e pela influência que ele exerceu sobre sua mãe, D. Candelária. Após amargar um longo período de solidão longe do marajá - cada vez mais empenhado na política e em conhecer territórios estrangeiros - e de seu único filho, Ajit - que estuda em uma espécie de colégio interno - Anita se vê sucumbindo a paixão. A princesa foi estritamente fiel aos seus sentimentos até conseguir conquistar sua tão sonhada liberdade e se mostrou uma das figuras mais exóticas, belas e intrigantes que pairaram pela Índia.

O marajá de Kapurthala já tinha quatro esposas, mas se encantou com a jovem bailarina andaluza e não sossegou até conseguir fazer dela sua esposa. Jagatjit Singh se mostrou um verdadeiro príncipe encantado para a garota pobre e sem estudo, que resolveu deixar a Espanha para viver o seu "sonho indiano". É notável que, por mais que o príncipe tivesse outras mulheres, Anita sempre foi a sua favorita, o que despertou o ciúme e a inveja de suas esposas. Completamente diferente das demais moças indianas, com sua pele tão branca quanto às montanhas do Himalaia, o marajá exibia Anita tal como um troféu e a simpatia e a beleza estonteante da princesa andaluza encantava todos ao seu redor. Ele a amou verdadeiramente, mas a cultura e os costumes de seu país acabaram dando brecha para que um verdadeiro ato de traição acontecesse. Mesmo afrontado e envergonhado de sua humilhação, o marajá agiu com ponderação e deu toda a assistência necessária à Anita até o fim de sua vida.

Em síntese, Paixão Índia é um livro intenso, emocionante e rico em cultura, tradições e costumes, tanto do continente europeu quanto do asiático. A história de amor talhada em suas páginas é forte, arrebatadora e polêmica e possui uma magnitude tão imensa e majestosa, ao ponto de não nos revelar heróis e vilões e sim personagens extremamente humanos, com todas as suas virtudes e defeitos. Javier Moro realizou uma pesquisa detalhada para compor sua trama, por meio de viagens, depoimentos de familiares e muitas fotos - que inclusive, ilustram o miolo da obra - e conseguiu retratar com afinco e beleza a história da princesa de Kapurthala. A capa do livro é muito bonita - retratando uma moça em um sári vermelho contemplando o mar - e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

10 comentários:

  1. Que história linda, estou apaixonada por esse livro e sinceramente eu não conhecia a obra me surpreende e estou super curiosa pela leitura.
    Art of life and books.

    ResponderExcluir
  2. LOie,
    não conhecia o livro, mas a história parece ser muito boa, principalmente pela cultura.

    bjos
    Blog Vanessa Sueroz

    ResponderExcluir
  3. Nessa é uma trama viva e com um toque muito rico na questão da cultura, lê-lo seria como ir a Índia!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa!

    Eu adorei saber que é um livro rico em cultura e história. O enredo me interessou bastante, bem diferente do que ando lendo. Gostei da dica!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Está aí, acho que nunca li nada relacionado à Índia. E que bom saber que o autor foi cuidado com os detalhes. Parece mesmo ser uma boa pedida!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa
    O que me chamou atenção no livro foi a questão de conhecer outras culturas, parece ser um romance muito bom.

    te indiquei lá no blog em um prêmio.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie tudo bem? Nossa acho que nunca li um romance histórico que se passe na Índia, mas esse parece ser muito bom, vou procura-lo para ler!
    Bjss, comenta nesse post por favor, ajudaria muito:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2016/10/projeto-poetas-urbanos-inedito-e.html

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Adorei o post! Beijos

    www.robsonvascovith.com

    ResponderExcluir
  9. Oie Nessa =)

    Eu simplesmente adoro romances que se passam em países não tão convencionais. Primeiro por que aprendo algo novo sobre a cultura e segundo por que de certa forma é um tipo de leitura diferente.

    Já tinha visto a capa desse livro, mas a sua é a primeira resenha que leio dele. E gente romance histórico que se passa na Índia??!! Já quero *-*

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  10. Acabei de ler o livro - bastante fiel à história original - e ainda estou envolvida pelo carisma dos personagens.

    ResponderExcluir