28/11/2016

Resenha: Os Humanos - Matt Haig

Título original: The humans
Gênero: Romance/Ficção Científica
Páginas: 312
Editora: Jangada
Classificação: 4/5
Comprar: Submarino
O livro Os Humanos, de Matt Haig, nos traz uma história incrivelmente peculiar que desnuda a alma humana sob o ponto de vista de um extraterrestre. A natureza humana é abordada com maestria em meio a uma série de analogias que mostram toda a dor e a alegria da vida terrestre, com uma narrativa dinâmica, hilária e levemente confusa. Achei o enredo de Matt Haig extremamente original e apreciei demais a sua dissecação da raça humana feita por um ser andrógino e até então desprovido de sentimentos, que nos inspira, diverte e se mostra uma verdadeira metamorfose ao longo da história.

Quando um extraterrestre chega à Terra, suas primeiras impressões acerca da raça humana são bem negativas. Ao assumir a forma do professor de matemática da Universidade de Cambridge, Andrew Martin, o visitante está ansioso para cumprir a missão para a qual foi designado e assim voltar para o seu planeta, onde todos são imortais e oniscientes.

O ser extraterrestre se sente enojado com a aparência humana e com a sua alimentação e sobretudo com a sua capacidade de matar e guerrear, porém também se surpreende com os conceitos acerca do amor e da família e, à medida que o tempo passa, percebe que pode haver mais coisas nesta espécie do que ele poderia supor. Na pele de Andrew, ele se encanta com o doce sabor do vinho, se apaixona pelas poesias de Emily Dickinson, apura os seus sentidos para o som do rock n'roll e até mesmo desenvolve um novo paladar. Inesperadamente, ele vai criando laços com a família de Andrew e passa a enxergar beleza e esperança na imperfeição humana, ao ponto de até mesmo pensar em abortar a sua missão...

Os Humanos é uma obra ímpar e inigualável, onde o perfil do ser humano é traçado minuciosamente com todas as suas virtudes e defeitos e exposto detalhadamente sob a ótica de um ser de outra dimensão. Matt Haig merece honrarias a começar pela temática apresentada em seu livro e o mais surpreendente é que a astúcia do autor não pára por aí. O "E.T." Andrew passa a criar uma sintonia com a família do professor de matemática, que se resume em uma esposa que abriu mão da sua profissão para exercer a vocação de dona-de-casa e de um filho com graves tendências ao suicídio e isso sem contar com o cão já idoso da família chamado Newton, que se torna a válvula propulsora para aflorar a "humanidade" do visitante espacial. Narrado em primeira pessoa por Andrew, de uma forma levemente poética e repleta de referências ilustres e analogias, o livro se mostrou um trabalho profundo, completamente autobiográfico e incrustado de surpresas.

"Os seres humanos são rotulados por seus desejos básicos e isso leva ao sofrimento e à dor, porque nossos desejos nos fazem ansiar por coisas do mundo, mas o mundo não passa de representação. Como alguns anseios moldam aquilo que vemos, acabamos nos alimentando de nós mesmos, até enlouquecermos. E acabarmos aqui."

Andrew era um professor brilhante e conceituado, que descobriu um grande segredo da matemática que pode modificar o mundo da maneira pela qual o vemos. E é justamente por conta de sua descoberta que o visitante espacial entra em ação, com a missão de calar o professor e todos aqueles que estão à par deste ilustre segredo. Assim que toma posse do corpo de Andrew, o extraterrestre acorda nu em pelo em uma avenida movimentada, é ridicularizado pelas pessoas ao seu redor e acredita que o cuspe seja uma espécie de cumprimento, já que foi o seu primeiro presente ganho em sua vida terrestre, de forma que ele passa a retribuir a "saudação" na mesma moeda. Suas impressões e a forma como ele passa a absorver as informações ao seu redor são profundas e levemente hilárias, principalmente no que diz respeito ao sexo e ao orgasmo e acompanhar seus laços de afeto com a nova família e a transformação que ele provoca neles e também em si próprio são gratificantes. O antigo professor era um homem movido pelo ego e pelo brilhantismo, totalmente avesso à família, além de ser um homem bastante infiel e na pele do ser extraterrestre se torna um marido comunicativo, um pai presente e um excelente dono para seu cachorro.

"Apenas gostar de alguma coisa é insultá-la. Ame-a ou a odeie. Tenha paixão. Conforme a civilização avança, a indiferença faz a mesma coisa. É uma doença. Imunize-se com arte. E amor."

Isobel, a esposa de Andrew, é uma mulher amargurada e infeliz, que abriu mão de um grande talento para se dedicar a família e que não foi nem um pouco valorizada por isso. A presença do "Andrew E.T." lhe desperta novos sonhos, desejos e acende uma chama especial em sua inteligência e criatividade. Gulliver, o filho do casal, é um jovem problemático justamente por não encontrar conforto no pai e tem fortes tendências ao suicídio. Apesar de relutar a simpatia e presença ativa do "pai", acaba se contagiando com seu altruísmo e enxerga no visitante extraterrestre um grande amigo e herói.

Em síntese, Os Humanos é uma obra original, profunda e repleta de reflexões. A narrativa de Matt Haig é tão impactante e cristalina que nos passa a nítida impressão de estarmos nos vendo diante de um espelho, com todas as nossas qualidades e imperfeições face a face. A capa é muito bonita, com um fundo azul estrelado e Andrew brincando com o fiel escudeiro Newton e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo.

13 comentários:

  1. Oi, Nessa!
    Gosto de livros reflexivos, e esse ainda não conhecia!
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Nessa!
    Não conhecia este livro mas devo dizer que apesar de não ser fã desse gênero mais fantástico fiquei interessada pela perspectiva de "ler" os humanos a partir da visão de um extraterrestre.

    beijos
    http://numrelicario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nessa, sua linda, tudo bem?
    Nossa, eu adoro suas resenhas, mas essa, fiquei babando. Um dos assuntos que mais me fascinam é a natureza humana e percebo que estarei em casa ao ler esse livro. Tenho certeza de que irei me emocionar vendo uma pessoa de outro planeta nos vendo de forma totalmente transparente, e ainda assim aprendendo a nos amar, apesar que quem somos e o que representamos. Adorei!!!!! Estou louca para ler!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa,

    Não é um livro que me chamaria atenção pela sinopse, mas curti muito sua resenha e suas considerações finais, me deixou muito curiosa para ler!!

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  5. Oie Nessa,
    confesso que li este livro quando lançou e não curti muito a leitura

    bjos
    Blog Vanessa Sueroz

    ResponderExcluir
  6. oi Nessa, eu ja tinha visto divulgações do livro e confesso que estava curiosa
    a trama realmente parece ótima!
    estou babando!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, Nessa! Tudo bem?
    A Editora me surpreendeu com o livro! Ótima resenha!! Beijos,

    Lu - www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas estou bem curiosa com essa historia. Tem jeito de ser muito bom.
    Bjks!

    ResponderExcluir
  9. Oi Nessa,
    Que capa linda mesmo, não conhecia esse livro.
    Não gosto muito de enredos envolvendo aliens/ets, então não sei se a leitura fluiria pra mim. Mas adorei sua resenha.

    tenha uma ótima quinta :D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Nossa, o livro parece ser demais! Obrigada pela dica, com certeza vou ler!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  11. Oi Nessa!
    Acho essa capa linda e espero gostar do livro. Adorei a resenha!
    um abraço :)
    http://leituraforadeserie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Nessa! Apesar de eu adorar assistir filmes de ficção científica, não costumo ler muitos livros desse gênero (por falta de "encontro" com esse tipo mesmo hahahhaha) e esse parece uma ótima dica. Beijinhos, Beatriz.

    www.odiariodeumaescritorainiciante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Nessa
    Gostei muito deste enredo, achei super diferente!! Parece ser uma história muito boa e reflexiva.

    Beijinhos
    Diário de Incentivo a Leitura

    ResponderExcluir