15/06/2017

Resenha: A Espiã - Paulo Coelho

Edição: 1
Ano: 2016
Gênero: Romance histórico
Páginas: 184
Editora: Paralela
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O livro A Espiã, do carioca Paulo Coelho, nos conta a história da dançarina exótica Mata Hari, uma figura emblemática e icônica que marcou toda uma época e teve um final extremamente triste. Baseando-se em cartas da própria Mata Hari, Paulo Coelho nos narra sua trajetória da adolescência até os últimos dias, de forma bastante contundente e levemente romântica, retratando com afinco sua personalidade e espírito livre.

Margaretha Zelle, conhecida popularmente pelo vulgo de Mata Hari, foi uma das mulheres mais desejadas na fervilhante Paris da Belle Époque. A bailarina exótica que encantava e chocava as plateias ao se desnudar nos palcos parisienses e que se tornou amante e confidente de homens ricos e extremamente poderosos, despertava o ciúme e a inveja das damas da aristocracia. Mata Hari sempre lutou por sua própria identidade e por uma vida livre dos limites convencionais regidos pela sociedade moralista. Seu desejo de liberdade e de autodomínio próprio nas primeiras décadas do século XX lhe custou muito caro, mas eternizou o seu nome na história, consagrando-a como um símbolo de força e audácia feminina, mesmo após cem anos de sua morte.

Em A Espiã, Paulo Coelho retratou com brilhantismo a vida de Mata Hari e toda a sua excentricidade, utilizando ficcionalmente as cartas trocadas entre a dançarina e o seu advogado enquanto ela aguardava sua sentença na prisão de Saint-Lazare, em Paris. Confesso que esse é o primeiro livro de Paulo Coelho que conseguiu me agradar e me envolver profundamente em sua leitura, visto que nunca consegui mergulhar nas demais obras do autor e acabei até mesmo me desinteressando por suas publicações. A forma como o escritor desenvolveu o enredo, dotada de maestria e profundidade, conseguiu me encantar e me deixar ávida pela vida de Mata Hari. Narrado em primeira pessoa pela protagonista de modo bastante íntimo e visceral e levemente permeado por romance, o livro se mostrou uma leitura intrinsecamente interessante, além de mostrar, nas palavras da própria mãe de Mata Hari, "que as árvores mais altas nascem das menores sementes".

Ao contrário do que aparenta, a vida de Mata Hari foi muito mais triste do que muitos imaginam. Criada em uma pequena cidade da Holanda, ela foi colocada em um internato logo após perder a mãe e foi constantemente estuprada pelo diretor do local. Tentando mudar de vida, a jovem se deparou com um anúncio de casamento em um jornal e decidiu se candidatar, o que culminou com o seu matrimônio e o seu deslocamento para a ilha de Java. Porém, ela sofreu bastante ao lado do marido alcoólatra e também vivenciou diversos abusos sexuais no seio do lar. Ao notar que sua beleza e charme sempre a tornaram alvo de admiração do sexo masculino, a jovem Margaretha Zelle resolveu fugir de casa e tentar a vida de dançarina no solo parisiense, se tornando um verdadeiro sucesso em plena Belle Époque ao se desnudar completamente e representar coreografias exóticas e extremamente sensuais. Consagrando-se como um verdadeiro símbolo sexual, Mata Hari se envolveu com várias figuras importantes da sua época, tais como militares e políticos e por suas relações tanto com franceses quanto com alemães, foi acusada de espiã durante a Primeira Guerra Mundial, mesmo sem terem provas palpáveis sobre isso. Em 15 de outubro de 1917, ela foi considerada culpada e cumpriu sua pena sendo fuzilada. Rezam as lendas que durante sua execução, os soldados do pelotão de fuzilamento tiveram que ser vendados para não sucumbirem a sua beleza. Circulam também versões em que ela jogou beijos aos seus algozes antes de ser fuzilada e de que até mesmo se despiu de sua túnica e morreu completamente nua.

"Sou uma mulher que nasceu na época errada e nada poderá corrigir isso. Não sei se o futuro se lembrará de mim, mas, caso isso ocorra, que jamais me vejam como uma vítima, mas sim como alguém que deu passos corajosos e pagou sem medo o preço que precisava pagar."

Resumidamente, A Espiã é um livro extremamente interessante e embasado, que retrata com profundidade e coesão a história de uma das figuras mais emblemáticas e enigmáticas do século passado. Há controvérsias sobre Mata Hari até hoje - mesmo se completando um centenário de sua morte -, e muitos acreditam que ela foi inocente e que seu fuzilamento foi usado como joguete nas mãos dos poderosos da época como uma forma de desviar a atenção das massas para os horrores da guerra, culminando em uma das teorias mais prováveis sobre a morte da dançarina exótica. A capa do livro nos traz uma foto de Mata Hari colorizada com suavidade e tenacidade e a diagramação está ótima, com fonte em tamanho adequado e revisão de qualidade. Recomendo ☺

8 comentários:

  1. oi Nessa, eu não leio algo do Paulo há muito tempo, mas estou louca para ler novamente e nada melhor que um sucesso desses, né?
    a história de Mata Hari é incrivelmente sedutora e intrigante tanto quanto ela própria
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa
    Não sou muito interessada em ler os livros deste autor, na verdade já li um livro dele. Ainda sim achei este interessante.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho muita curiosidade sobre a personalidade e a história dela, um dos personagens femininos emblemáticos com uma morte para lá de injusta e uma vida cercada de mais injustiça ainda. Não sabia que Paulo Coelho com toda a sua pegada mistica podia escrever um livro assim. Vi tantas fotos desse livro e jamais desconfiei que era realmente sobre a Marta.... kkk Nunca julgue um livro pelo autor kkkk Adorei a resenha, foi esclarecedora.

    Jaci
    #DoQueEuLeio

    ResponderExcluir
  4. Oie Nessa =)

    Teve uma época que lia muito Paulo Coelho, na verdade dos livros antigos dele li todos. Nos últimos tempos para cá os lançamentos do autor não estão me chamando tanta a atenção. Mas confesso que a premissa de A Espiã me deixa com aquela pulguinha de curiosidade atrás da orelha.

    Beijos e um ótimo final de semana;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  5. Oi Nessa! Faz muitos anos que leio nada do paulo Coelho, mas pela resenha já deu pra perceber que tem uma pegada bem diferente dos anteriores dele! E Mata Hari foi um figura incrível, acho que realmente deve valer a pena conferir.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa,
    Acredita que eu nunca consigo acabar um livro do Paulo Coelho?
    Eu tenho aquele Aleph e eu sempre acabo dormindo quando o pego para ler.
    Ai eu desisti de tentar outros. Acho que não é para mim :(
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nessa!!

    Não tenho muita curiosidade para ler o livro. Mas que bom que você curtiu!! Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  8. Amei !!!

    Estou amando ler seus artigos, sempre amei visitar seu blog e ler os artigos, sempre tem dicas e informações interessantes...

    Parabéns !!

    Samara Lima

    Colaboradora do Blog Lotofacil resultado de hoje

    ResponderExcluir