23/08/2017

Resenha: O Ceifador - Neal Shusterman

Título original: Scythe
Gênero: Distopia
Páginas: 448
Editora: Seguinte
Classificação: 5/5
Comprar: Saraiva
O livro O Ceifador, primeiro volume da série Scythe, de Neal Shusterman, nos traz uma distopia interessante e muito bem arquitetada, repleta de adrenalina e emoção. Com uma temática original e incrivelmente criativa, Neal Shusterman demonstra o seu talento e assim como no livro "Fragmentados", nos traz uma ficção científica de primeira linha, com personagens fortes e um enredo eletrizante.

O ano é 1942 e a sociedade vive um tempo conhecido como Era da Imortalidade, onde ninguém mais morre ou adoece. Aqueles que sofrem um acidente ou porventura tentam cometer um suicídio, automaticamente voltam a vida após serem levados para o centro de vivificação e o envelhecimento não faz mais parte da humanidade, visto que existem centros especializados em rejuvenescer a aparência das pessoas. Também não existe mais desigualdade social e todos desfrutam da mesma qualidade de vida.

Entretanto, por detrás de tantas conquistas e avanços tecnológicos, se encontra a Nimbo-Cúmulo, uma sociedade de inteligência artificial responsável por garantir que tudo funcione perfeitamente e de modo funcional, se sagrando a maior autoridade do planeta. Porém, apesar de tanto planejamento e estratégia, a Terra não tem capacidade de comportar uma população que cresce a cada dia mais e algumas pessoas precisam morrer. Logo que a fórmula para combater a morte foi descoberta, se instituiu um grupo com a missão de coletar algumas vidas e manter o equilíbrio da sociedade denominado Ceifa, e uma vez que uma pessoa é coletada, ela não pode ser revivificada pela Nimbo-Cúmulo.

E é justamente com esse grupo seleto e obscuro que os adolescentes Citra e Rowan acabam se envolvendo. Citra tem dezesseis anos, mora com os pais e o irmão mais novo, Ben, e não arquiteta grandes planos para o seu futuro. Já Rowan pertence a uma família que não pára de crescer graças aos milagres do rejuvenescimento. Quando os jovens cruzam o caminho do ceifador Faraday, logo são convocados para se tornarem aprendizes da Ceifa, mesmo contra suas próprias vontades.

Conforme passamos a conhecer a Ceifa e adentrar o seu universo, nos deparamos com a corrupção em seu seio. Enquanto alguns ceifadores ostentam misericórdia e compaixão, outros sentem um prazer sombrio e irrefreável em matar, burlando até mesmo algumas das regras da associação. Citra e Rowan acabam tendo os seus destinos selados pela Ceifa e apenas um deles se tornará um ceifador ao final do treinamento com uma mórbida condição: quem não for escolhido será a primeira coleta do vencedor. Entre disputas internas e uma batalha árdua pelo poder, os dois jovens irão aprender o verdadeiro abecedário da arte de matar, tornando-se armas mortais até mesmo para si próprios...

O Ceifador se mostrou uma leitura eletrizante e repleta de adrenalina, conseguindo prender a minha atenção do início ao fim. A cada capítulo, uma grande reviravolta se descortina, o que provoca um misto de fascínio e choque no leitor, o deixando cada vez mais ávido pela leitura. Seus personagens foram bem construídos e incorporados na trama - incluindo o núcleo secundário - e a história possui analogias interessantes e frases de alto impacto extremamente atuais. Narrado em terceira pessoa de forma fluída e detalhada na medida certa, o enredo de Neal Shusterman conseguiu me conquistar quase que de imediato e me deixar completamente ansiosa por sua sequência.

"Nós afastamos da natureza no momento que vencemos a morte"

Citra enfrenta muitos desafios que testam arduamente sua mente e seu corpo, mas as dificuldades que a jovem enfrenta são brandas em vista do calvário imposto ao Rowan. Ela é destemida, corajosa e incrivelmente inteligente, além de ser bastante ferina com as palavras. Sua devoção para com sua família, em especial para com o seu irmãozinho são uma de suas maiores qualidades. Como era esperado, surge um romance na trama que acaba não ganhando tanto vigor neste volume, mas que possui um gancho promissor.

Rowan enfrenta duras provações e conhece o lado mais cruel e sanguinário da Ceifa. Além dos esforços físicos em demasia, seu espírito luta dia após dia para manter viva a chama da humanidade e da sanidade. O psicológico do personagem fica profundamente abalado devido aos inúmeros episódios que presencia em seu treinamento e apesar do seu martírio, ele consegue conservar a duras penas o seu caráter e o amor que surge por Citra.

Em síntese, O Ceifador se mostrou uma grata surpresa e me proporcionou uma leitura diferente, original e incrivelmente criativa. Não sou muito fã de distopias, mas a escrita do Neal Shusterman tem uma beleza ímpar e uma fluidez que consegue me inebriar e despertar a minha atenção de uma forma quase mágica. A capa do livro é bem enigmática e condizente com o enredo, nos trazendo a figura de um ceifador com um manto escarlate e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺


13 comentários:

  1. Olá, tudo bom?
    Distopia é comigo mesmo!! Adorei sua resenha.
    Obrigada pela indicação! certamente, irei pesquisar sobre o livro.
    Beijos!
    5 O'clock Tea

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa,
    Achei a sinopse muito criativa e original, e estou bem curioso para conferir. Ainda mais por contar com essa narrativa dinamica e eletrizante.
    Mas acho que vou aguardar os proximos volumes antes de começar a leitura.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. quantos bons elogios! é bom ver que a trama conquistou tanto assim, Nessa
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie Nessa =)

    Esse foi um dos melhores livros que li em 2017. Enredo inteligente, ótimos diálogos e uma narrativa surpreendente. Mal posso esperar pela continuação.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Nessa!
    Eu já li outras resenhas desse livro e quero muito mesmo lê-lo logo, porque a premissa parece ser maravilhosa! Além de ser uma distopia que é um dos meus gêneros favoritos.
    Beijos,
    Meise Renata.
    viciadas-em-livros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa,
    Tudo bom? Quanto tempo?
    Então depois de um bom tempo afastada da blogosfera consegui voltar, não consegui ficar muito tempo longe do meu cantinho também e decidi vir visitar os amigos.
    Sou fã de distopias e não conhecia esse livro ainda, parecia interessante a trama da história acho que vai prender minha atenção. Vou adicionar a minha lista para pesquisar mais.Adorei a dica.
    Se puder e tiver um tempinho e quiser me visitar também ficarei feliz.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nessa!!

    Que bom que gostou da leitura! Não achei muito a minha cara. Também li outras resenhas e acho que vou deixar passar. O importante é você ter gostado! Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Nessa, eu ainda não li O ceifador, mas só leio críticas positivas e morro de curiosidade. Já li outra série do autor e gostei bastante <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Estive um tempo fora e já chego com um baque desse? Estava louca por Fragmentados, eu ainda nem li e o autor já me lança outros livros? Gente assim não dá. Fiquei curiosa e interessada PRA CARAMBA! Lembro que a ultima distopia que li e me encantei foi a trilogia "Estilhaça-me" e isso faz tanto tempo, quero muito conhecer esse autor, mas preciso entender duas coisas: Fragmentados é uma duologia ou tem mais livros? e esse "O Ceifador" serão quantos livros?
    Amei sua resenha, sempre instigante!

    Beijos
    Dani Cruz
    blogemcomum.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Nessa,
    São tantos elogios sobre esse livro que fico curiosa... Não é algo que eu leria por escolha própria, sabe? Capa e premissa não me agradam, mas sinto que preciso conhecer a obra!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oiii Nessa

    Esse autor arrasa, desde que comecei a ler já esperava um livro extraordinário e não me desapontei em nenhum moento. A sociedade que ele construiu, a trama, a personalidade de cada um dos personagens, tudo beira a perfeiço. Morrendo de vontade de conferir logo a segunda parte.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem?

    Vi esse livro esses dias na Saraiva, e fiquei curioso, aí pensei: "vou ver se encontro uma resenha pra saber mais". E a sua resenha desempenhou esse papel com maestria, se eu já estava curioso, agora fiquei bem louco pra ler essa história!

    Marcelo Brinker
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá Nessa,

    Ótima resenha, esse livro está na minha lista de desejados, gosto muito do gênero....abraço.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir