06/12/2017

Resenha: Não me Abandone Jamais - Kazuo Ishiguro

Título original: Never Let Me Go
Gênero: Distopia
Páginas: 344
Editora: Companhia das Letras
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
O livro Não me Abandone Jamais, de Kazuo Ishiguro - vencedor do Prêmio Nobel de Literatura 2017 - nos traz uma distopia dilacerante e muito bem orquestrada. Com uma temática ousada e que delineia magistralmente toda a fragilidade e limitação da vida humana, personagens singulares e um romance memorável, o enredo de Kazuo Ishiguro é único e consegue nos fazer tramitar por um oceano de reflexões e indagações.

Kathy H. tem 31 anos e depois de exercer durante onze deles a profissão de "cuidadora", está prestes a se aposentar. Neste intervalo de tempo, ela relembra o período em que viveu no internato inglês Hailsham, onde passou a infância e a adolescência cercada pela mais pura e bela natureza, ao lado de Tommy - o grande amor de sua vida - e de Ruth, sua melhor amiga. Tal como qualquer criança, Kathy passou por muitos momentos de risos, lágrimas, felicidade e medo no internato, mas de certa forma, é possível notar que os internos de Hailsham tinham algo de especial e diferente. Para início de conversa, todas as crianças de Hailsham são "doadoras" e poucas dentre elas, são elegidas "cuidadoras". Às vésperas de se tornar uma "doadora", Kathy foi nomeada "cuidadora" e nos explica como galgou esse degrau em sua vida e tudo o que teve que passar até ali. Entretanto, o seu relato é um pouco complexo e intrigante e acaba gerando ainda mais dúvidas ante o clima de mistério que impera em Hailsham.

Nada é o que parece ser e por detrás da suposta utopia que paira sobre Hailsham, segredos obscuros vão sendo paulatinamente revelados. Por meio das memórias de Kathy, mergulhamos em um pântano sombrio e misterioso, que pouco a pouco vai nos aguçando a curiosidade e tornando o enredo intrigante. A ingenuidade, bem como a maldade humana, são contrastadas em suas mais diversas formas e à medida que as revelações vêm à tona, elas se mostram mais do que assustadoras; são simplesmente devastadoras, dolorosas.

Não me Abandone Jamais é um livro que toca fundo na sua alma e que te leva a uma série de profundas reflexões. Sou até suspeita em falar a respeito, pois ficção científica trata-se de um gênero no qual não sou expért, entretanto é praticamente impossível permanecer a mesma pessoa após a leitura deste livro. Mesmo se tratando de uma ficção distópica, as questões abordadas e levantadas por Kazuo Ishiguro em seu enredo machucam e comovem e nos levam a refletir acerca das limitações da vida, bem como sobre a perda e a solidão. Narrado em primeira pessoa por Kathy de forma intensa e um tanto indigesta, temos uma história forte, cáustica e incrivelmente chocante.

Kathy é uma personagem complexa e sua narrativa tem exatamente as mesmas características. Há pontos em que nos perguntamos se ela realmente está sendo sincera em seu relato ou se ela quer persuadir o leitor a ter uma visão estereotipada dos demais personagens da trama. O seu sofrimento, bem como suas frustrações e a morte de seus sonhos são dilacerantes e saber que ela acompanhou todos os fatos da história e que carrega essa bagagem em sua alma é assustador e devastador.

"É um momento gélido, esse, o da primeira vez em que você se vê através dos olhos de uma pessoa. É como passar diante de um espelho pelo qual passamos todos os dias de nossas vidas e de repente perceber que ele reflete outra coisa, uma coisa estranha e perturbadora."

Tommy tem uma pureza e uma inocência tão grande que o sagram como uma espécie de ser angelical. E não, essa característica não ficou exacerbada na trama e sim serviu para elucidar a ambiguidade dos sentimentos conflitantes do enredo. Acompanhar o personagem se agarrar desesperadamente à migalhas de esperança mexeu demais com o meu interior e conseguiu me causar até mesmo emoção durante a leitura. Ruth também é uma vítima da situação, entretanto ela consegue manipular as pessoas e as coisas ao seu redor a seu bel-prazer e tal senso de egoísmo não me fez nutrir apatia pela personagem. Talvez ela tenha sido retratada assim por Kathy propositalmente - afinal, a narrativa é um tanto complexa quanto tortuosa - mas o fato é que a personagem também pagou os seus pecados na história, mas não conseguiu me comover tanto quanto os demais.

Em síntese, Não Me Abandone Jamais é um livro excelente e memorável e sem sombra de dúvidas, uma das melhores distopias que eu já li na vida. Não se trata de uma leitura fácil, muito pelo contrário, a trama é norteada de angústia e nos deixa até mesmo com um certo vazio existencial após o seu término, entretanto se trata de uma obra essencial por dissecar a vida humana e suas limitações. Em 2010 foi feita uma adaptação cinematográfica do livro, que conta no elenco com Andrew Garfield, Keira Knightley e Carey Mulligan e que foi bem aclamada pela crítica por retratar com fidelidade a distopia de Kazuo Ishiguro. A capa do livro nos traz um robô em poses anatômicas e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!


Confira o trailer do filme de Não Me Abandone Jamais:



6 comentários:

  1. Oi Nessa, o livro me chamou atenção quando o autor ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, uma amiga lá do blog leu e amou tb. Parece profundo e uma leitura tocante, bem curiosa a respeito!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Só pelo título do livro você já espera uma história tocante e incrível. Não conhecia esse livro, mas fiquei mega interessada, sua resenha me deixou curiosa e super lerei futuramente este livro. Adorei!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Vanessa!
    Nossa...fiquei curiosíssima com os seus comentários. Li um livro do autor no ano passado (Vestígios do dia - o mais famoso dele) e gostei bastante. Fiquei impressionada com a habilidade narrativa dele. Agora quero conferir esse também.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

    ResponderExcluir
  4. desculpe a ausencia minha linda, como esta? que dica legal você trouxe, eu não conhecia esse livro, mas fiquei curiosa

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Parece bastante interessante valeu pela dica

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa,
    Ah, que bacana que você curtiu.
    Também recebi e espero gostar. Vivo adiando assistir esse filme porque queria ler primeiro haha

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir