25/01/2018

Resenha: Anjo Negro - Mallerey Cálgara

Edição: 1
Ano: 2011
Gênero: Literatura fantástica
Páginas: 208
Editora: Novo Século
Classificação: 4/5
O livro Anjo Negro, da mineira Mallerey Cálgara, nos traz uma história interessante sobre o amor de um filho por sua mãe e até onde ele é capaz de ir para salvá-la. Mesclando passagens bíblicas com mitologia grega, o enredo foi muito bem arquitetado pela autora, entretanto as alternações entre primeira e terceira pessoa atrapalharam um pouco a minha leitura e a revisão feita pela Editora Novo Século deixou bastante a desejar e, infelizmente, acabou tirando um pouco do brilho da obra.

Darian é um nefilim, ou seja, filho de um humano com um anjo, o que o torna de certa forma especial. Sua mãe, Bridget, após engravidar e se apaixonar por um ser humano, foi transformada em mortal e viveu por muito tempo atormentada por seres sombrios, até que acabou não resistindo e se suicidou. Para salvar a sua mãe, que se encontra em profunda tormenta, ele recebe uma proposta do Arcanjo Miguel: como tem a passagem livre entre os dois mundos devido à sua condição de nefilim, Darian precisaria recolher dez mil almas que desejam ser salvas e colocá-las em uma caixa angelical. Ele logo se sente balançado com a proposta do Arcanjo, afinal é uma oportunidade única de salvar sua mãe que sofre no Vale dos Suicidas. Contando com a ajuda de Hadji, seu anjo da guarda, ele parte para o mundo espiritual em uma jornada de aprendizagem repleta de conflitos e indecisões. Entretanto, Darian não é assistido somente pelos anjos, mas também por seres demoníacos, que prontamente lhe fazem uma contraproposta: ao invés de coletar dez mil almas, ele precisa entregar apenas uma única e especial alma para Iblis, o senhor do inferno. Pesando os prós e os contras, Darian se vê mergulhado em uma intensa indecisão e cada dia mais fica próximo de se transformar em um Anjo Negro.

Anjo Negro nos traz um enredo bem criativo e envolvente sobre os seres angelicais e, acima de tudo, sobre o amor abnegado de um filho por sua mãe. O mote da história é extremamente interessante, entretanto senti que alguns pontos careceram de desenvolvimento, tal como a alternância entre primeira e terceira pessoa da narrativa. Talvez se autora tivesse se focado em apenas uma das narrativas, o enredo teria se tornado um pouco mais fluído e uniforme. Darian foi um protagonista muito bem arquitetado e é quase que impossível não se comover com a grandiosidade de sua alma e de seu coração, entretanto, os demais personagens não foram tão bem apresentados para o leitor e surgiram de forma meio que aleatória no contexto da trama.

Darian se envolve de corpo e alma na tentativa de salvar a sua mãe e é capaz dos maiores sacrifícios para isso, o que nos revela bastante de seu caráter e coração. No limiar entre o bem e o mal, ele passa por inúmeras provações, que acabam moldando o seu espírito ainda mais. O seu relacionamento com a família é muito bonito, apesar de não ter sido tão bem explorado e confesso que senti falta de conhecer um pouco mais sobre os seus irmãos Erick e Margot e achei que as informações lançadas sobre eles no enredo foram um pouco parcas. Também gostaria de ter lido um pouco mais sobre a história de amor de Alan e Bridget - que, pressupostamente, abalou céus e terras - e achei que o romance deles poderia ter sido um pouco mais elaborado e explanado.

Em síntese, Anjo Negro é um livro interessante, criativo e original, além de ser permeado pelo puro e abnegado amor filial. Entretanto, achei que alguns pontos da história deveriam ter sido um pouco mais explorados, além da narrativa ter me soado um pouco confusa em alguns momentos. A capa do livro é bem chamativa e nos traz um anjo envolto por um fundo negro, com um par de asas mescladas nas cores vermelha e azul (acredito que simbolizando o embate entre o bem e o mal) e a diagramação, infelizmente, deixou bastante a desejar, com muitos erros gramáticos e de concordância verbal que passaram desapercebidos pela revisão da Editora Novo Século. Apesar das ressalvas, não deixo de recomendar.

8 comentários:

  1. Esse é um livro que vejo boas resenhas. Gosto de seres angelicais e iria gostar. Realmente revisao ruim e esse problema de alternar muito primeira e terceira pessoa é fogo.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nessa!
    Ainda lembro do lançamento desse livro, gosto de enredos originais, então acho que daria uma chance!
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ainda não conhecia o livro, sua resenha está muito interessante :D

    https://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa,
    Estou fugindo de sobrenaturais, sabe? É uma leitura que não consigo me apegar tão facilmente mais.
    Mas destaque para esse que é nacional, adoro nossa literatura crescendo e aparecendo.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá Nessa,

    Parabéns pela resenha, apesar de parecer interessante o livro não me despertou interesse, não gostei dessa capa....abraço.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oiii Nessa

    eu tenho uma bilogia dessa autora e tenho bastante curiosidade em conferir a escrita dela, espero gostar. Esse livro eu nem conhecia, fico feliz em saber que vc curtiu a leitura.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Nessa, nossa não sabia que a autora era brasileira, achei mega interessante essa questão de abordar passagens bíblicas com mitologia grega, sem contar que o tema amor entre e filho foge um tanto do comum, que pena que parece um tanto confuso em alguns momentos....

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. oi Nessa, ja li muitas resenha a respeito e fiquei bem curiosa
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir