06/01/2018

Resenha: A Irmã da Tempestade - Lucinda Riley

Título original: The storm sister
Gênero: Romance
Páginas: 528
Editora: Arqueiro
Classificação: 5/5
Comprar: Submarino
Em A Irmã da Tempestade, segundo volume da série As Sete Irmãs, da irlandesa Lucinda Riley - autora best-seller com mais de 5 milhões de livros vendidos - conhecemos a história de Ally, a segunda irmã mais velha das D'Aplièse. Forte, determinada e com espírito de líder, Ally se tornou uma exímia velejadora e, após um episódio doloroso em sua vida, parte para à Noruega afim de descobrir um pouco mais sobre a sua origem. Escrito com maestria, delicadeza e sensibilidade e intercalando passado e presente numa sincronia perfeita, o enredo de Lucinda Riley é encantador e traz até mesmo passagens referentes à Segunda Guerra Mundial.

Ally D'Aplièse sempre foi apaixonada por música e foi uma excelente flautista quando jovem, entretanto , ela se encantou pelos mares - tal como seu pai adotivo, Pa Salt - e resolveu seguir a carreira de velejadora. Durante os preparativos de uma importante regata, ela recebe a notícia de que seu pai faleceu, fazendo com que ela abandonasse seus projetos e voltasse para o seu lar, se reunindo assim com as suas cinco irmãs. Em Atlantis, elas descobrem que Pa Salt deixou uma pista para cada uma delas referente às suas verdadeiras origens.

Apesar do choque pela perda do pai, Ally encontra conforto e abrigo com o seu grande amor, Theo. Entretanto, novamente seu mundo vira de cabeça para baixo e ela decide a partir daí seguir as pistas deixadas por Pa Salt e parte rumo à Noruega. Em terras norueguesas, Ally descobre que a sua história de vida está ligada à da jovem cantora Anna Landvik, que viveu há mais de cem anos e participou da estreia de uma das obras mais aclamadas do compositor Edvard Grieg. Conforme vai mergulhando na vida de Anna, Ally fica cada vez mais intrigada quanto à sua origem e também sobre o passado de seu pai adotivo.

A Irmã da Tempestade se mostrou um livro tão gracioso e exuberante quanto o seu volume anterior, As Sete Irmãs, trazendo um enredo magistral, esplêndido e sensível. Com personagens fortes e capazes de se reinventar nas piores circunstâncias possíveis e uma trama norteada pelos sabores e dissabores do amor, o romance de Lucinda Riley é dotado de uma beleza única e delicada. Narrada em primeira e terceira pessoa por Ally e mesclando passado e presente como num passe de mágica, a história se mostrou encantadora, bela e singular.

Dentre as irmãs D'Aplièse, Ally é conhecida por ser a líder da irmandade. Inteligente, decidida e forte, ela vê o seu mundo desmoronar com a perda de Pa Salt, o homem que foi mais do que um pai para cada uma delas. Quando ela pensa que está conseguindo suportar a ausência repentina do pai adotivo, ela é golpeada mais uma vez pela dor e todas as suas estruturas são fortemente abaladas. O que mais me encantou na personagem foi a sua capacidade de se reinventar apesar de tantos infortúnios e de não esmorecer diante das dificuldades. Ally é uma sobrevivente e procura fazer o melhor para a sua vida, tanto que depois de sofrer tantas adversidades, o destino lhe presenteia com gratidão e ternura.

"Em momentos de fraqueza, você vai encontrar sua maior força."

A história de Anna Landvik é emocionante e bastante encantadora. A jovem camponesa levava uma vida um tanto simplória em Heddal trabalhando na fazenda da família e cantando para as vacas quando foi descoberta por Herr Bayer. Ele acolhe a moça e leva para estudar música em Cristianina, com o intuito de transformar sua protegida em uma cantora de renome. Após alguns meses de estudo, graças a sua voz incrível, Anna é escolhida para interpretar as canções de Grieg para a aclamada obra Ibsen, de Peer Gynt, onde irá representar o papel de Solveig. Entretanto, ela dará apenas a sua voz para a personagem, pois a protagonista da peça já havia sido escalada. Atuando apenas nas coxias como uma "voz fantasma" e jamais pisando no palco mais famoso da Noruega, a doce melodia de Anna encanta todos e prova dia após dia a amplitude de seu talento. Foi muito gratificante acompanhar a história de uma jovem humilde e simples se transformando numa das cantoras de mais sucesso de Noruega e ter a ciência de que a vida da personagem não foi nada fácil, mesmo com tantos holofotes sob si. Em alguns momentos, a trajetória de Anna Landvik me lembrou um pouco à de Rosanna Menici, que foi retratada no livro A Garota Italiana (também de autoria de Lucinda Riley), devido as tramas de amor norteadas por música vividas pelas personagens, apesar de existirem  muitas diferenças nas características delas e em suas histórias. De toda forma, a ligação entre Anna Landvik e Ally D' Aplièse foi muito interessante, além de ser bem explorada na trama e nos conduz por muitos caminhos de amor e também, de dor.

"A música é o amor à procura de uma voz."

Em suma, A Irmã da Tempestade se mostrou uma sequência à altura de As Sete Irmãs, mantendo em evidência as maiores características de Lucinda Riley, ou seja, sensibilidade, delicadeza, emoção e uma impecável destreza. Acompanhar a história de vida de duas grandes mulheres separadas por gerações e unidas por sentimentos tais como o amor, a ambição, a perda e o poder de se reinventarem foi muito gratificante, assim como apreciar o forte apreço que ambas sentiam pela família. Tanto Ally quanto Anna são protagonistas fortes, desenvoltas e decididas e tornaram o romance ainda mais encantador e especial. A capa do livro é simples e nos traz a gravura de uma moça admirando o mar e suas ondas e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!

Confira a resenha do volume anterior, As Sete Irmãs:

►AS SETE IRMÃS


14 comentários:

  1. Oi Nessa! Que bom que vc está curtindo os livros da autora e que a sequência é boa. A cada resenha eu tenho certeza de que vou curtir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa!
    Eu comprei esse livro ontem em promoção na Saraiva.
    Minha mãe tem o 1 e eu lhe dei este, estamos ansiosas para ler, já que adoramos a Lucinda.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nessa, tudo bem?
    Curti muito a resenha! Já ouvi vários elogios à Lucinda Riley.
    Sabe me dizer se são 7 volumes ao todo essa série? Um pra cada irmã?
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  4. Lucinda é uma autora incrivel, eu adoro os romances dela e as sete irmãs é demais... de ar nó na cabeça
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie Nessa =)

    Preciso ler algo da Lucinda o mais rápido possível. Só leio resenhas positivas dos livros da autora e me sinto uma ET, por ainda não ter dado uma chance aos livros dela.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa
    Quero muito ler esta série, parece ser muito boa.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ainda não conhecia esse livro, gostei muito da sua resenha, como sempre me deixa muito interessada. Toda vez que venho aqui anoto suas dicas, obrigada por mais uma e parabéns :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oiii Nessa

    Eu tenho muita vontade de ler essa série da Lucinda, mas confesso que me sinto meio covarde pensando em sete livros bastante longos... Mesmo assim são tantos os elogios à escrita da autora e à trama dos livros que tenho uma pontinha de curiosidade cada vez maior, quem sabe esse ano eu inicio com o primeiro da saga

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Oi! Eu ainda não li nenhum livro da autora e acredito que vou começar por essa série, me chama muito a atenção. Bjos <3

    Click Literário

    ResponderExcluir
  10. Olá Nessa, tudo bem?

    Ótima resenha, gosto demais das historias da autora e da sua escrita, quero ler todos os livros dela...bjs.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Nessa, ainda não li esse, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  12. Oi Vanessa,
    Eu tenho dois livros da autora, mas apesar de todos os comentários positivos eu sempre acabo adiando a leitura. Que bom que esse livro manteve o mesmo nível do anterior.

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Amo Lucinda Riley! Estou louca para ler essa série dela... nossa gosto de tudo que ela escreve mesmo. Vamos ver se consigo ler essa série esse ano.
    Amei a resenha.
    Bom começo de ano!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  14. Oi Nessa,
    Ahh, adoro música, então espero curtir a abordagem da autora.

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir