01/01/2018

Resenha: Persuasão - Jane Austen

Título original: Persuasion
Gênero: Romance inglês
Páginas: 312
Editora: Martin Claret
Classificação: 5/5
Comprar: Saraiva
O livro Persuasão, escrito em 1817 pela romancista inglesa Jane Austen, nos conta a história de Anne Elliot e do capitão Frederick Wentworth - um casal que se apaixonou ainda na adolescência, mas que acabou se separando devido à persuasão de outrens. Oito anos depois, por uma bela ironia do destino, eles se reencontram e os sentimentos de outrora ressurgem com a mesma intensidade e paixão. Persuasão é um dos livros mais românticos de Jane Austen e nos apresenta protagonistas maduros e já com uma certa bagagem emocional, o que tornou o romance envolvente e emocionante.

Anne Elliot, com então 19 anos, era extremamente apaixonada pelo capitão Frederick Wentworth. Porém, devido a intensidade e passionalidade do relacionamento dos dois, foi persuadida por sua grande amiga, Lady Russell e também pelos familiares a não se comprometer com o jovem, tanto por questões financeiras quanto pela impulsividade do capitão. Entretanto, essa sua escolha lhe custou muito caro e lhe colocou numa posição semelhante à de serviçal da família, fazendo com que suas vontades e desejos mais profundos fossem sufocados ao longo dos anos em detrimento de seus parentes. Porém, mesmo sendo uma mulher de temperamento calmo e reservada, Anne se mostrou uma das protagonistas mais fortes e de mente aberta de Jane Austen, justamente por aceitar as mudanças ao seu redor e aprender com os próprios erros.


Persuasão é um dos livros mais românticos e intensos de Jane Austen e preconiza todas as qualidades do verdadeiro amor, tais como temperança, paciência, força e resiliência. Anne e Frederick são separados no auge de sua paixão por opiniões contrárias e se reencontram oito anos depois, em situações bem diferentes de outrora. Ele conseguiu se firmar na profissão e tornou-se um capitão renomado; já Anne permanece solteira e vive em prol da família, auxiliando-os em tudo e suprimindo suas próprias vontades e anseios. Porém, por mais que relutem, os antigos sentimentos eclodem com força total e moldam o destino deles com precisão, sem qualquer interferência externa. Narrado em terceira pessoa de forma extremamente elegante e romântica, conhecemos uma história de amor arrebatadora, sensível e profundamente tocante.

Quando falamos que Anne foi fortemente persuadida a não levar adiante o seu relacionamento com Frederick há oito anos atrás, logo imaginamos uma personagem fraca e sem opinião própria, que se deixa levar pela intuição alheia como uma folha ao sabor do vento. Entretanto, essas características são, na verdade, extremamente contrárias às da verdadeira personalidade de Anne. Mesmo apaixonada, ela foi impedida de viver o seu amor e recebeu orientação de uma amiga querida - Lady Russel - que quis lhe preparar positivamente para o futuro, já que o seu amante não possuía um dote adequado e a Inglaterra estava atravessando uma fase complexa e turbulenta devido às guerras napoleônicas. Entretanto, mesmo tendo se arrependido amargamente da sua decisão do passado, Anne segue em frente arcando com todas as consequências e sem melodramas. O seu reencontro com Frederick é permeado de tensão e ele faz de tudo para alfinetá-la, mesmo sendo visível de que se tratam de atitudes de alguém que foi ferido e quer simplesmente mostrar a dor que lhe foi causada. A aproximação entre eles vai crescendo de forma gradativa, mostrando uma Anne forte, convicta, disposta a tudo na busca pela felicidade.

"Fora obrigada a ser prudente na juventude, e aprendera o romantismo à medida que envelhecia: a sequela natural de um começo antinatural."

Depois de Mr. Darcy, o meu mocinho favorito dos romances de Jane Austen é o capitão Frederick Wentworth. Ele é galanteador, cortês, educado e sabe ser incisivo na medida certa. Quando reencontra Anne, faz de tudo para mostrar o quanto foi ferido no passado e até mesmo tenta ignorá-la. Ele inclusive flerta com Louise Musgrove na frente dela, dando até mesmo a impressão de que os dois estão em um compromisso sério. Entretanto, é possível notar que os sentimentos dele por Anne ainda permanecem os mesmos de oito anos atrás, principalmente quando os dois começam a ter um embate interessante sobre qual dos sexos ama mais verdadeiramente e ele deixa bem clara a sua opinião a respeito do estereótipo feminino. Frederick também é o responsável por escrever uma das cartas de amor mais românticas da história da literatura inglesa, incrivelmente arrebatadora e emocionante.

"Não consigo mais ouvir em silêncio. Tenho de falar com você com os meios que estão ao meu alcance. Você trespassa a minha alma. Sou agonia e esperança. Não me diga que é tarde demais, que tais preciosos sentimentos se foram para sempre. Eu volto a me oferecer a você, com um coração ainda mais seu do que quando você o partiu, oito anos e meio atrás. Não ouse dizer que os homens se esquecem mais rápido do que as mulheres, que o amor deles morre mais cedo. Só a você tenho amado. Posso ter sido injusto, fui fraco e ressentido, mas nunca inconstante."

Resumidamente, Persuasão é um dos livros mais românticos e intensos de Jane Austen. Com personagens maduros, inteligentes e cheios de vida, o romance enaltece a espera e a paciência do amor genuíno e a recompensa que será dada para aqueles que se deixarem envolver por suas virtudes e perseverarem nelas. Em 2007, foi feita uma adaptação cinematográfica da obra com os atores Rupert Penry-Jones e Sally Hawkins nos papéis principais, conseguindo transportar fielmente para às telas todo o romantismo e delicadeza do enredo de Jane Austen e se sagrando um filme incrivelmente espetacular e excepcional. A capa do livro é simples e contém alguns arabescos em dourado e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!

Confira o trailer do filme Persuasão (2007):



5 comentários:

  1. Oi Nessa, Jane [e maravilhosa, realmente sáo personagens intensos, ainda náo vi a adaptaçao, mas quero conferir, certeza de que vou amar!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. ainda não consegui ler esse romance da Jane, apesar de ser bem comentado por várias pessoas, incluindo você, querida Nessa.

    Aliás Jane Austen é sempre um bálsamo de romance

    eu estou voltando com o blog, dei uma paradinha por motivos pessoais e adoraria ter a sua visita
    Feliz 2018
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nessa,
    Da Jane Austen só li 'Orgulho e Preconceito', mas 'Persuasão' é o próxima leitura da autora. Eu tenho em ebook, mas queria comprar o físico, porque sei o quanto será complicado... A linguagem não é algo fácil para mim.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa
    Adoro os livros da autora, mas este eu ainda não li. Preciso me organizar para ler alguns livros da autora que ainda não li. E claro assistir aos filmes.

    Feliz Ano Novo.
    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie Nessa =)

    Ahhh me sinto uma ET por não gostar dos livros da Jane Austen =( Já tentei ler vários e o único que consegui ler até o final foi Orgulho e Preconceito.

    Adoro os filmes baseados nas obras dela, mas a narrativa nos livros é muito cansativa e arrastada em minha opinião.

    Beijos ;**
    Ane Reis | Blog My Dear Library  

    ResponderExcluir