19/04/2018

Resenha: Christine - Stephen King

Título original: Christine
Gênero: Romance de terror
Páginas: 768
Editora: Ponto de Leitura
Classificação: 5/5
Comprar: Saraiva
O livro Christine, de Stephen King, nos traz um romance de terror espetacular, além de muito bem conduzido e com um desfecho aterrorizante e surpreendente. Com um enredo criativo e extremamente peculiar, King nos faz mergulhar numa história de amor e obsessão intensa e repleta de nuances, impecavelmente construída e com personagens bem centralizados.

O jovem Arnie Cunnigham sempre foi visto no colégio como um perdedor. Nerd, repleto de espinhas e completamente desajeitado com as garotas, o adolescente circulava pela escola tal como uma sombra, tentando fugir das gozações implacáveis de seus colegas. Tudo isso até Christine entrar em sua vida...

Quando avistou Christine, Arnie logo percebeu que se tratava de um caso de amor à primeira vista. Desde aquele fatídico dia, o seu mundo ganhou um sentido diferente e tudo o que ele deseja é estar ao seu lado, tal como dois amantes shakespearianos. Entretanto, eles não são uma espécie de Romeu e Julieta, afinal Christine é um carro - mais especificamente um Plymouth Fury 1958. Como uma espécie de feitiço sobre rodas, Christine se apodera integralmente da vida de Arnie, fazendo-o mergulhar em uma profunda e visceral obsessão, fazendo o jovem se afastar da família, dos amigos e da própria sanidade...

A vida do jovem até então pacato e desapercebido pelas pessoas muda drasticamente, assim como a dos demais habitantes do bucólico subúrbio onde ele vive. Quando Christine está nas ruas, ela impera como uma verdadeira rainha e nada e nem ninguém é capaz de afastá-la de seu apaixonado e devotado dono...

Christine se mostrou uma história única, original e incrivelmente orquestrada. Norteado por suspense, terror e pela obsessão em seu grau mais elevado, o romance de Stephen King se inicia como uma verdadeira história de amor, passando por todos os estágios de uma paixão genuína e se sagrando como uma das melhores obras-primas do universo do terror. Acompanhar as transformações causadas por Christine na vida de Arnie nos trouxe uma mescla de realização e espanto, visto que de certa forma, ele deixa aflorar sua independência e liberdade que por tanto tempo ficaram suprimidos e sufocados, ao mesmo tempo em que adquire uma rebeldia selvagem e uma sede de vingança irrefreável e cruel. Narrado em primeira pessoa por Dennis Guilder - o melhor amigo de Arnie e, de certa forma, o coprotagonista da trama -, de modo detalhado, alucinante e dotado de uma tonalidade sombria, o livro se mostrou um trabalho espetacular da mente insuperável de Stephen King, tecido com talento, criatividade, maestria e singularidade.

Arnie foi um personagem muito bem construído e teve um desenvolvimento ímpar no enredo. A sua história de amor com Christine foi sendo arquitetada paulatinamente, iniciando-se pelo flerte, partindo para os primeiros encontros, culminando em noites enamoradas e emergindo até a mais profunda e cruel obsessão. O romance foi tão bem conduzido e traçado por Stephen King que não precisamos de muito para imaginar Christine com uma verdadeira e esfuziante beldade, mesmo ela sendo um objeto "inanimado" e amargamente amaldiçoado. Dennis Guilder, além de ser o narrador central da trama, é também o melhor amigo de Arnie e acompanhar as transformações meteóricas que ocorrem na vida do então nerd sob o seu ponto de vista teve uma conotação bastante íntima e delineada. Leigh Cabot é a namorada de Arnie e umas das principais rivais de Christine, além de encabeçar o triângulo amoroso da trama - que acaba ficando em segundo plano graças a majestosidade do enredo. Ela surge como mera coadjuvante no enredo e não se destaca tanto quanto os demais personagens, apesar de ingerir altas doses da fúria de Christine.

Resumidamente, Christine é leitura obrigatória para aqueles que apreciam uma boa história de terror norteada por suspense, eventos paranormais, rock n'roll e claro, pela mais profunda e palpável obsessão. Com personagens bem construídos e centralizados, um enredo surpreendente e aterrorizante e contando com todo o talento, a perspicácia e a criatividade de Stephen King, o livro é daqueles que figuram na sua mente perpetuamente e que se torna uma leitura memorável e única. Foi feita uma adaptação cinematográfica da obra em 1983 intitulada Christine O Carro Assassino, contando no elenco com atores não tão conhecidos do público, tais como Keith Gordon, John Stockwell e Alexandra Paul e que, apesar das sutis diferenças com o livro de King, preservou os seus melhores atributos e trouxe uma trilha sonora impecável, que vai de Little Richard à Ritchie Vallens. A capa do livro é simples e nos traz a figura do Plymouth 1958 em tons obscuros e fantasmagóricos e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho, revisão de qualidade e pequenas estrofes de grandes clássicos do rock n'roll no começo de cada capítulo. Recomendo, com certeza!

Confira o trailer do filme Christine O Carro Assassino:



7 comentários:

  1. Oii Nessa

    Eu li do King só um livro, mas a narrativa dele não me conquistou, tem horas que a leitura ficou tão arrastada. Pretendo tntar novamente ler outra coisa do autor futuramente, quem sabe me surpreenda, mas de momento acho que ainda não me animo em ler as histórias dele por agora.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa,
    Acho tão chique quem lê Stephen King, sabe?
    Tão inteligente! Eu não consigo me apegar as histórias dele, mas queria muito, de verdade!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Vanessa, tudo bem?
    Apesar de não ser muito fã do gênero, eu assisti há anos atrás a adaptação de Christine e gostei, então acredito que poderia ler o livro.


    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa, tudo bem? Eu não sou fã de terror, mas li belas Adormecidas do King e Bazar de sonhos ruins e adorei!! O final ser aterrorizante me deixa um pouco nervosa, mas quero ler!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Olá Nessa tudo bem?

    Como já mencionei aqui no seu blog eu ainda não li nada do autor ainda, tenho muita curiosidade e espero que desse ano não passe, ótima resenha...bjs.



    http://devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. incrivel como King consegue transformar tudo e qualquer enredo em uma trama única
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. As histórias dele são meio amor e ódio, ne? Quem ama, ama muito e quem não gosta, não gosta mesmo! Ainda não conhecia esse livro.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir