07/07/2018

Resenha: O Prisioneiro do Céu - Carlos Ruiz Zafón

Título original: El prisionero del cielo
Gênero: Romance espanhol
Páginas: 256
Editora: Suma de Letras
Classificação: 5/5
Comprar: Saraiva
Em O Prisioneiro do Céu, terceiro volume da série O Cemitério dos Livros Esquecidos, do espanhol Carlos Ruiz Zafón, conhecemos um pouco mais sobre Daniel Sempere e seu amigo Fermín, alguns anos após os fatos ocorridos em A Sombra do Vento. Mantendo o mesmo senso de mistério e graça e esbanjando ainda mais talento, Zafón nos presenteia com uma trama repleta de segredos, intrigas e artimanhas.

Daniel Sempere e Bea já estão casados há um ano e como fruto desse relacionamento, nasceu o adorável Julián. A família mora junto com o pai de Daniel em um apartamento em cima da Livraria Sempere e Filhos. O Natal se aproxima na cálida Barcelona de 1957 e Fermín - que ainda trabalha com os Sempere - está cada dia mais ocupado com os preparativos de seu casamento com Bernarda, entretanto, algo ainda parece assombrá-lo.

Durante uma manhã em que Daniel está sozinho na loja, surge um homem misterioso que nutre interesse por uma bela edição ilustrada de O Conde de Monte Cristo - um dos itens mais valiosos da livraria e que permanece enclausurado em uma cúpula de vidro. O livro é caríssimo e, por mais que o homem não pareça ser um grande apreciador de literatura clássica, ele deseja comprar a obra a todo custo. O mistério se torna ainda mais esfuziante quando o sujeito misterioso sai da loja e deixa uma dedicatória intrigante no livro destinada a Fermín. Essa visita repleta de suspense e névoa é apenas o começo de uma história permeada por aprisionamento, traição e pela vingança de um adversário mortal que está disposto a tudo para conseguir o seu feito.

O Prisioneiro do Céu trouxe ainda mais mistério e suspense para a saga exuberante criada por Zafón, além de destrinchar com maestria segredos e obscuridades dos personagens centrais da trama, Daniel Sempere e Fermín. Neste volume, as histórias anteriores narradas em A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo se convergem em um só conglomerado, tornando a trama ainda mais rica e promissora. Narrado em primeira pessoa por Daniel, o enredo manteve a mesma magia e suspense com a qual se iniciou a série e nos trouxe uma visão ainda mais apurada e reveladora sobre os seus protagonistas.

Daniel agora já não é mais o mesmo menino retraído e ingênuo que figurou no início da série e se converteu em um pai de família atencioso e extremamente amoroso. A sua amizade com Fermín não só salvou a sua pele inúmeras vezes, como também o ajudou a amadurecer e a se tornar um homem centrado e de fibra. Entretanto, quando tudo parece finalmente estar entrando nos eixos, a visita do ilustre desconhecido na livraria acaba abalando o seu mundo mais do que imaginava, não só por colocar em perigo a vida de seu melhor amigo, como também por lhe deixar uma pista de detalhes que envolve o falecimento de sua mãe, Isabella. Em meio à essa nuvem de mistério e obscuridade que tomou os seus pensamentos, Daniel também precisa lidar com as suspeitas de infidelidade de sua esposa, Bea, desencadeada pela volta de um ex-namorado de sua amada para Barcelona. Particularmente, gostei bastante desta nova roupagem que Zafón concedeu ao personagem e como o amadurecimento de Daniel se deu de forma natural e suave, motivado pelas responsabilidades do cotidiano. Outro ponto que merece destaque é como o jogo se inverteu neste livro, visto que anteriormente Fermín sempre foi o protetor de Daniel e, agora, acompanhamos o jovem pai de família se arriscando de todas as formas possíveis para ajudar e proteger o melhor amigo, elucidando ainda mais o poder da forte amizade que os circunda.

"Sempre soube que um dia voltaria a estas ruas para contar a história do homem que perdeu a alma e o nome entre as sombras de uma Barcelona submersa no sono medroso de um tempo de cinzas e silêncio. São páginas escritas com fogo sob a proteção da cidade dos malditos, palavras gravadas na memória daquele que retornou de entre os mortos com uma promessa cravada no coração e pagando o preço de uma maldição. A cortina se abre, o público silencia e, antes de a sombra que espreita seu destino descer sobre o palco, um elenco de espíritos brancos entra em cena com o texto de uma comédia nos lábios e aquela bendita inocência de quem, pensando que o terceiro ato é o último, começa a narrar um conto de Natal sem saber que, ao virar a última página, a tinta de sua alma o arrastará, lenta e inexoravelmente, ao coração das trevas."

Fermín, por sua vez, mesmo correndo risco de vista devido a fatos macabros e inusitados de seu passado, não perde o seu tempero e a ironia mordaz que o consagraram na série. Conhecer a sua história foi uma verdadeira viagem pelo desconhecido e acompanhar todo o sofrimento do personagem até aqui e como isso não ofuscou o brilho de sua alma e o seu humor sarcástico fizeram com que eu o admirasse ainda mais. Saber também o quanto a vida dele e de Daniel sempre estiveram de certa forma conectadas e como o soturno escritor David Martín foi um verdadeiro coadjuvante neste elo tornaram a trama ainda mais enriquecedora e interessante.

"No futuro, todos os romances serão policiais, porque se houver um cheiro dominante na segunda metade desse século carniceiro, será o perfume da falsidade e do crime suavizados."

Em síntese, O Prisioneiro do Céu não só manteve a mesma magia e essência da saga de Zafón como também elucidou fatos interessantes da trama, tornando a história ainda mais encorpada, compacta e majestosa. Os personagens estão em suas melhores performances e mostraram todo o seu brilho e inteligência no enredo e a alusão entre O Conde de Monte Cristo do renomado Alexandre Dumas e o passado obscuro de Fermín caiu como uma luva, tornando o mistério ainda mais intrigante e enriquecedor. A capa é simples e confeccionada em tons sépia, nos mostrando um trecho urbano e bem pavimentado de Barcelona e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!

Confira o booktrailer de O Prisioneiro do Céu:



Confiram as resenhas dos volumes anteriores da série O Cemitério dos Livros Esquecidos:

15 comentários:

  1. Oi Nessa
    É uma vergonha eu ainda não ter lido esta série do autor, faz tempo que quero ler e tenho certeza que irei gostar, pois o enredo é muito interessante.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa,
    Você e sua inteligência para ler o Zafon... Te admiro, de verdade.
    Eu acho ele enrolado e minha cabeça não consegue 'desenhar' as histórias.
    Apesar que só tentei ler 'A Sombra do Vento', rs.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Zafón sempre sendo elogiado por você e minha admiração e vontade só crescem!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Nessa,

    Tenho esse livro aqui em casa, mas preciso dos anteriores ainda, fico feliz em saber que esse é um ótimo livro...abraço.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Pelo visto é uma série que compensa a leitura, ainda não conhecia. Mas fiquei bem curiosa para conhecer!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Oiii Nessa

    Eu sou super curiosa em ler os livros do Zafón, tenho uma conhecida que ama todos os livros desse autor e está sempre indicando, vergonha ainda nem ter lido, é pura preguiça mesmo já que são mais grossos, ainda assim quero ler em breve, ainda esse ano pelo menos a primeira parte da série.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Fiquei com muita vontade de ler esse livro, sua renha está linda :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Parece legal :D

    www.enfimtrinta.com

    ResponderExcluir
  9. Oie Nessa =)

    Cada vez que leio uma resenha do Zàfon no seu blog, lembro que preciso ler as outras obras do autor. Li apenas um livro dele até hoje e simplesmente adorei!

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  10. Oi Nessa, tudo bem?
    Gostei muito da resenha!
    Eu não tenho interesse especificamente nessa trilogia, mas gostaria de ler Zafón um dia.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  11. Oi Nessa, tudo bem?
    Adoro um bom suspense e um bom mistério, essa série parece ser muito boa. Adorei a resenha, espero ter oportunidade de ler um dia!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  12. Adorei a resenha, parece ser uma série maravilhosa! Pena que nao faz muito meu estilo.

    Bjao,
    Querida Cretina

    ResponderExcluir
  13. Oi Nessa,
    Essa série é muito maravilhosa. Esse livro, em especial, adorei o desenvolvilmento e a conexão entre o Fermín e o Daniel.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  14. Uiii, que essa saga deve ser massa!!! E é muito legal quando o autor consegue manter o ritmo e o bom nível das histórias, de um livro pro outro. Já curti!!!!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  15. Oi Nessa, tudo bem?
    Passando pra agradecer a visita e desejar bom domingo. =)
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir