24/07/2018

Resenha: Sangue de Feiticeira - Celia Rees

Título original: Sorceress
Gênero: Romance
Páginas: 270
Editora: Companhia das Letras
Classificação: 5/5
Em Sangue de Feiticeira, continuação de Filha de Feiticeira, de Celia Rees, conhecemos um pouco mais da vida da feiticeira inglesa Mary Newbury e os fatos que se sucederam após a sua fuga dos Estados Unidos. Preservando toda a riqueza e perspicácia do livro anterior, nesta sequência acompanhamos os infortúnios e deleites de Mary e como ela teve que se habituar a muita coisa pra poder sobreviver e cumprir o seu propósito na terra.

Depois de passar alguns anos vivendo em uma colônia de puritanos nos Estados Unidos no século XVII, Mary foi obrigada a fugir novamente para preservar sua vida. Sozinha e sem destino, ela passou por situações extremas e bastante dolorosas, que moldaram ainda mais a sua personalidade e caráter. Já no século XXI, a pesquisadora Alison Ellman  procura desvendar a história desta pequena feiticeira inglesa, usando de seus objetos pessoais e até mesmo de pedaços de seu diário escondidos dentro de uma colcha para conhecer a sua trajetória. Entretanto, o material que tem em mãos não é tão amplo e as pistas que remontam ao passado da feiticeira parecem ser cada vez mais enigmáticas e minúsculas, até que o encontro com uma jovem estudante indígena, Agnes Herne, lança luz sobre o seu caminho.

Agnes é dotada de dons herdados de seus antepassados e tem ricas visões que reproduzem a atribulada jornada de Mary, após fugir do povoado americano. É justamente por meio dessas visões que a garota irá entrar em contato com o passado remoto de seu povo, responsável por acolher Mary em seu seio e também por envolvê-la em guerras sangrentas com os colonos ingleses.

Sangue de Feiticeira nos trouxe uma sequência à altura de Filha de Feiticeira, nos apresentando a jornada de Mary Newbury de modo rico, detalhado e muito bem desenvolvido. A trama foi escrita com destreza e precisão e o xamanismo - que já havia despontado no volume anterior - deslancha com força total no enredo, mostrando toda a sua importância e estruturação na vida de Mary. Outro ponto que merece destaque é o núcleo contemporâneo da história e como a personagem Agnes foi uma peça fundamental para elucidar o passado de Mary, principalmente por conta de suas regressões aos século  XVII. Narrado em primeira e terceira pessoa por Mary, de forma ampla, dinâmica e bem conduzida, o livro conseguiu me encantar e retratou com ainda mais exatidão os pormenores da vida da feiticeira e a sua incursão no xamanismo.

Parece que a saga de Mary sempre foi fugir e fugir, mesmo procurando fazer o bem e auxiliar todos aqueles que a cercavam. Sua jornada é rica e cheia de experiências, dor, amor, sacrifícios e descobertas, o que a tornaram uma protagonista muito madura e forte. Ela também teve momentos de felicidade absoluta e fez descobertas interessantes, fatos estes que tornaram o livro ainda mais encorpado e intrigante. Me afeiçoei com a personagem e a admirei bastante por sua força e resiliência perante os fatos enfrentados, além dela ter feito as melhores escolhas ao longo de sua vida, mesmo que, a princípio, não seja fácil entender as suas decisões. A sabedoria sempre acompanhou a jovem feiticeira e a natureza a amparou e protegeu em suas mais diferentes formas, o que tornou o enredo ainda mais encantador e belo.

"Se sou feiticeira, eles logo ficarão sabendo. Nunca desejei mal a ninguém, mas, quando fugi de Beulah, raiva e ódio se chocaram, lançando pragas como as fagulhas que saem do ferro quando ele bate em pedra. Não fiz nada de errado. Por que, então, fui obrigada a sair correndo como uma fugitiva?"

Agnes, no século atual, mantém as mesmas características de Mary e se torna a chave para elucidar o passado da feiticeira. Ela doa o seu corpo e o seu espírito em prol da verdade e atua como uma verdadeira bússola ao orientar Alison em sua empreitada. Os dons místicos da jovem são surpreendentes e nos conduzem por um caminho de magia, fé e esperança.

"A sabedoria e o conhecimento nascem do sofrimento."

Resumidamente, Sangue de Feiticeira nos mostra o amadurecimento de duas jovens pertencentes a séculos diferentes e como cada uma delas, ao seu modo, luta para se sobressair na vida, além de transmitir ao mundo o poder e a magia das histórias de seus ancestrais. O enredo de Celia Rees trata também de intolerância religiosa em seus mais altos níveis, além de mostrar o quanto as guerras e as batalhas machucaram e ainda ferem o nosso mundo. Outro ponto que merece destaque é que, ao final do livro, contamos com algumas notas históricas acerca de personagens que povoaram a trama no livro anterior, Filha de Feiticeira, o que nos possibilita conhecer os seus desfechos na trama. A capa do livro é simples e nos traz a gravura em tons pastéis de duas índias em sua oca e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!

Confira a resenha do volume anterior, Filha de Feiticeira:

►FILHA DE FEITICEIRA

9 comentários:

  1. Oi Nessa,
    Não conhecia essa série (??)
    Achei bem bacana, pois gosto de plots envolvendo feiticeiras/bruxas, mas acabo por não ler tanto. Dica anotada!

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  2. oi Nessa, é perceptível que a trama muito te agradou, eu particularmente não me sinto muito atraia por esse tipo de leitura
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nessa
    Que história interessante, não conhecia essa série.
    Gostei da sua resenha e vou procurar saber mais sobre essa série e o primeiro livro.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa, sua linda, tudo bem?
    Eu adoro livros com magia, com bruxos e afins. Mas essa série eu nunca ouvi falar. É sempre assim as pessoas que ajudam as outras se sacrificam nunca são bem vistas e acabam sofrendo, o que é muito injusto. Não vejo a hora de ler. Adorei sua resenha!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Muito bom! Nao conhecia o livro...vou querer ler o primeiro e depois este. Nao curti muito a capa, poderiam ter feito um trabalho melhor, mas fiquei interessada na escrita da autora.
    Passa lá no blog para conferir as novidades.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  6. Oie Nessa =)

    Como assim em não conhecia essa série! Tô passada!
    Adoro livros com essa premissa e pela sua resenha, acredito que vou gostar muito da narrativa.

    Já vai para lista!

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  7. Oiii Nessa

    Que bom que a trama te agradou, eu nem conehcia essa série mas achei super interessante, adoro livros com esas temática.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Nessa,
    Eu também não conhecia essa série e fiquei curiosa, agora que estou lendo mais fantasia. Só queria uma capa mais bonita, rs.
    beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá Vanessa,

    Também não conhecia esse livro, mas gostaria muito de ler, a história parece interessante...ótima resenha....abraço.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir