05/09/2018

Resenha: A Corte de Luz - Richelle Mead

Título original: The glittering court
Gênero: Romance
Páginas: 400
Editora: Outro Planeta
Classificação: 4/5
Comprar: Saraiva
O livro A Corte de Luz, primeiro volume da série The Glittering Court, da americana Richelle Mead, nos traz um romance interessante, com ares bem medievais e um leve toque de magia. A princípio, a história conseguiu prender a minha atenção e fiquei bem curiosa com o desfecho de algumas cenas, entretanto, percebe-se que a autora pesou um pouco a mão e acabou dotando a trama com muitos elementos, tornando o enredo moderadamente confuso em alguns momentos.

Elizabeth, a condessa de Rothford, foi destinada a um casamento de conveniência com um rico vendedor de cevada, com a finalidade de salvar os rendimentos de sua família. Inconformada com esse destino, a jovem assume a identidade de uma de suas criadas e foge do reino em uma carruagem em direção à Adoria.

Em Adoria, usando o nome de Adelaide, ela é acolhida na Corte de Luz - uma espécie de internato que educa moças das classes mais baixas e as transformam em verdadeiras damas da sociedade. A condessa, então disfarçada de serviçal, não demora muito tempo para chamar a atenção de Cedric, filho do dono da corte. Logo, uma breve atração nasce entre os dois, colocando em risco não só o disfarce de Elizabeth como também segredos obscuros que o rapaz guarda de sua família...

A Corte de Luz tem um mote bem atrativo e conseguiu atrair a minha atenção desde o seu lançamento com essa mescla de romance medieval com magia e leves toques de distopia. Entretanto, no decorrer dos capítulos, é visível que a autora acaba se perdendo um pouco dentro da própria história que criou e atribuo a isso o excesso de elementos com os quais ela dotou o enredo. Tantos tópicos distintos foram abordados dentro do livro que, em determinados momentos, quebramos a cabeça tentando descobrir elos entre uma coisa e outra e a trama acaba virando uma leve confusão. Os personagens tem características e qualidades que muito me agradaram, mas devido ao bolo de fios soltos que os envolvem, acabaram perdendo um pouco da sua essência dentro do livro. Narrado em primeira pessoa por Elizabeth, de forma bem íntima e convidativa, o enredo tem muitos atrativos, no entanto, merecia um desenvolvimento um pouco melhor.

Elizabeth surge na trama como uma personagem forte, disposta a lutar com unhas e dentes pela sua liberdade e independência. E sim, isso realmente acontece enquanto o mundo desmorona sobre a sua cabeça e ela precisa se fingir de plebeia, ocultando os seus verdadeiros dons e tentando lidar com a desconfiança de muitos. O seu romance com Cedric muito me agradou e o casal tem uma química muito bacana ao longo do enredo, mas foram tantos elementos, segredos e castas cercando o relacionamento deles que acabou sufocando um pouco a beleza de seu amor.

Cedric é um rapaz polido, educado e sempre disposto a ajudar. Além de ser inteligente e pescar muitas coisas no ar, ele tem uma simpatia invejável e consegue derreter até os mais pedregosos corações. No entanto, por trás desse verniz de bom moço, o rapaz esconde alguns segredos bem pesados, que podem colocar em risco não só a sua vida como também as daqueles que ama.Eu gostei muito da sintonia entre ele e Elizabeth e sobretudo das escolhas e sacrifícios que eles fazem para permanecerem um do lado do outro. Entretanto, alguns riscos que eles correram eram tão óbvios e claros que é praticamente inadmissível tentar entender porque o casal tomou esse caminho, mesmo se tratando de pessoas maduras e com uma incrível destreza.

Em síntese, A Corte de Luz é um livro interessante, tem pontos bem atraentes e personagens que conseguem te cativar com suas personalidades e características. Entretanto, uma enxurrada de acontecimentos cerca a trama em um curto período de tempo, sufocando aquilo que poderia ser uma história de amor ainda mais bonita e deixando a desejar no desenvolvimento de outros tantos pontos. A capa é lindíssima, além de incrivelmente atraente e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Apesar das ressalvas, não deixo de recomendar.

7 comentários:

  1. o enredo parece ser interessante, mas confesso que não me atraiu de cara, acho que não leria
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa, tudo bem?
    A premissa inicial é mesmo muito interessante, pena que a autora perdão a mão e exagerou no desenrolar da trama.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  3. Gostei dessa mistura de medieval com magia e tudo o mais. Uma pena que o romance ficou sufocado com o excesso de tramas paralelas acontecendo. Detesto quando isso acontece, tu não faz ideia, kkkk. Mas isso costuma ser bem comum em primeiros livros de uma saga desse tipo. Parece que a autora quer explicar aos leitores como que funciona esse mundo criado por ela e, se não tomar cuidado, acaba exagerando mesmo. Talvez os próximos sejam mais focado e sejam melhores. Eu confesso que fiquei bem interessada, mesmo com essas ressalvas!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa,
    Meu primeiro contato com a autora não foi muito bom, então não fiquei animada a ler esse, porém adoro a premissa e a capa!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oiii Nessa

    Dessa autora só li o dos vampiros e acredita que detestei? Todo mundo adora, mas não foi pra mim, infelizmente.
    Ainda pretendo ler outro livro dela, quem sabe até este. Achei parecidinho um pouco com A Seleção, pena que os acontecimentos se acumulam em excesso desfavorecendo o romance né? ainda sim é um livro interessante.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Oie Nessa =)

    Da Richelle só li a Tabuleiro dos deuses e gostei bastante da narrativa da autora.

    Depois não li mais nada dela, mas é uma pena que aqui a autora tenha pendido para o exagero. =(

    Lendo a sua resenha, fiquei com a impressão que a história lembra uma pouco A Seleção.

    Não é um livro que eu leria agora, mas mesmo com suas ressalvas acho que vale a pena dar uma chance para obra.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  7. Olá Nessa,

    Não conhecia esse livro, diferente de você não gostei da capa, mas gostei da premissa apesar das ressalvas, ótima resenha...abraço.


    http://devoradordeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir