29/09/2018

Resenha: O Bebê de Bridget Jones - Helen Fielding

Título original: Bridget's Jones Baby
Gênero: Romance/Chick-lit
Páginas: 208
Editora: Paralela
Classificação: 5/5
Comprar: Saraiva
Em O Bebê de Bridget Jones, quarto volume da saga Bridget Jones, da britânica Helen Fielding, acompanhamos a jornada da protagonista nos caminhos da maternidade. O livro se passa após os acontecimentos de Bridget Jones No Limite da Razão e antes de Bridget Jones Louca pelo Garoto, soando como uma espécie de paliativo aos fatos que não agradaram a muitos dos fãs (inclusive eu) no terceiro volume da franquia. Aqui temos uma protagonista ainda mais engraçada, hilária e que representa muito bem os sonhos e os anseios da mulher contemporânea.

Criada por Helen Fielding há mais de duas décadas, Bridget Jones continua sintetizando muito bem a imagem da mulher moderna e as suas incursões pela busca do amor verdadeiro, bem como o anseio de se firmar na carreira profissional e também os diversos questionamentos envolvendo casamento e maternidade. No oceano de confusões e peripécias que circundam a personagem, é praticamente impossível não se identificar com ao menos uma das situações inusitadas enfrentadas por Bridget.


Depois de tantas aventuras e trapalhadas, Bridget agora se vê às avessas com a experiência da maternidade. O bebê não estava em seus planos, muito menos na forma e no momento em que ele surgiu, especialmente quando ela está lidando com uma nova supervisora casca dura no trabalho e precisa ocultar a gravidez para manter seu emprego. Como se não bastasse isso, ela ainda não sabe definir a real paternidade do bebê e se assusta com as informações escabrosas sobre maternidade recebidas dos amigos, ao mesmo tempo em que precisa lidar com a mãe, que não está nada feliz em saber que será avó. Enquanto tenta driblar todo esse leque de confusões, Bridget se diverte comprando roupinhas para o bebê, se aventurando na cozinha e, claro, tentando manter uma dieta "saudável", à base de batatas recheadas...

Conforme os meses se passam e o momento do parto se torna iminente, Bridget fica cada vez mais sobrecarregada com as necessidades daqueles que a cercam. Enquanto tenta confirmar se é Daniel ou Mark Darcy o pai de seu bebê, a loira precisa lidar com a forte competição entre os dois e também com os dramas vividos por seus amigos e familiares, o que acaba temperando ainda mais as confusões e aventuras vividas pela personagem.

O Bebê de Bridget Jones se mostrou um livro divertido, engraçado e perfeito para se passar o tempo. Recheado de comédia, romance e muitas peripécias, Helen Fielding nos traz sua personagem em uma de suas melhores fases, imersa nas inúmeras oscilações hormonais e transbordante de felicidade e alegria. Narrado em primeira pessoa por Bridget na forma de um diário, o enredo se mostrou incrivelmente hilário, leve e contemporâneo.

Sempre tive um carinho especial por Bridget, mesmo tendo me desapontado com alguns dos fatos narrados em Bridget Jones Louca pelo Garoto. Ela é uma personagem maluquinha e atrapalhada, dona de um coração gigantesco e que busca incessantemente a sua felicidade. A gravidez coloca a protagonista em um lindo e perfeito estado de graça e, mesmo lidando com inúmeras confusões, Bridget exala uma alegria e força contagiantes. A confusão envolvendo os dois possível pais do bebê - Daniel e  Mark Darcy - tornaram a trama ainda mais divertida, bem como a competição acirrada entre a dupla para agradar Jones e fazer todas as suas vontades.

"À medida que as mulheres vão passando dos vinte para os trinta, o equilíbrio de poder muda de repente. Até as mulheres mais seguras perdem as estribeiras, lutando contra os primeiros sinais de angústia existencial: medo de morrer sozinha e ser encontrada três semanas depois semidevorada por um pastor alemão..."

Daniel continua o mesmo homem galante e irrefreável de sempre e ainda reluto em entender o que Bridget vê nele. Egocêntrico e irônico, a princípio, ele não parece muito feliz com a ideia de ser pai mas, quando descobre que a paternidade pode ser tanto dele quanto de Darcy, logo é invadido pelo espírito de competição e usa e abusa de suas artimanhas para agradar Bridget e ganhar seu coração. Já Mark Darcy que, sem sombra de dúvidas, é um dos meus personagens favoritos da saga de Helen Fielding, continua o nobre cavalheiro de sempre, refinado, prestativo e incrivelmente romântico. Muitas coisas aconteceram entre ele e Bridget no passado, mas é inegável o amor e a paixão que une os dois personagens.

Resumidamente, O Bebê de Bridget Jones se mostrou um romance maravilhoso, engraçado e envolvente. Acima de tudo, provou que merecia o posto de terceiro volume da saga - tornando Bridget Jones Louca pelo Garoto ainda mais dispensável e desnecessário - e nos trouxe os personagens em suas melhores fases e reluzentes de felicidade. Em 2016, foi feita uma adaptação cinematográfica do filme, tão divertida quanto o livro e bem aclamada pela crítica. Contando no elenco com os já queridinhos do público, Renée Zellweger e Colin Firth e também com a participação do maravilhoso Patrick Dempsey, o filme se mostrou uma comédia romântica estupenda, apesar das pequenas modificações feitas em seu enredo. A capa do livro nos traz a gravura de Bridget Jones com um chocalho na mão e foi confeccionada em um material aveludado e a diagramação está caprichada, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo, com certeza!

Confira o trailer do filme de O Bebê de Bridget Jones:



Confiram as resenhas dos volumes anteriores da série Bridget Jones:

► O DIÁRIO DE BRIDGET JONES
►BRIDGET JONES NO LIMITE DA RAZÃO
►BRIDGET JONES LOUCA PELO GAROTO


5 comentários:

  1. Oi Nessa,
    Acredita que eu ainda não li nem assisti aos filmes?
    Preciso, afinal, é clássico né? HAHAHAHA
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oiii Nessa

    Tentei ler um dos livros mas infelizmente não foi pra mim, não gostei muito do estilo da narrativa, ams tenho curiosidade em conferir os filmes, dizem que é bem legal. Fico feliz em saber que o livro te agradou e foi asism divertido, sempre vale a pena uma leitura leve que faz o nosso estilo né?

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Nessa
    Acho que não conhecia este livro, mas os filmes assisti todos. Na verdade eu só tenho o primeiro livro e é muito divertido. Já quero este.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. oi Nessa, ainda não li os livros, mas assisti o filme e parece ser uma trama bem elaborada como você mesma salienta
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Nessa, tudo bem?
    Essa série parece divertida, mas acho que vou conferir os filmes primeiro. Parecem engraçados!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir