05/05/2019

Resenha: A Hora do Lobisomem - Stephen King

Título original: The Cycle of the Werewolf
Gênero: Terror
Páginas: 154
Editora: Suma de Letras
Classificação: 5/5
Comprar: Saraiva
O livro A Hora do Lobisomem, do autor Stephen King, nos traz uma história sanguinolenta sobre um ser lupino que aterroriza a pacata cidade de Tarker's Mill. Com um enredo que retrata uma verdadeira carnificina e heróis pouco improváveis, a trama de King é recheada de sarcasmo e ironia e, mais uma vez, impressiona pela criatividade e destreza do autor.

Tarker's Mill é uma cidadela tranquila e de poucos habitantes, onde todo mundo conhece todo mundo. Entretanto, gritos vorazes pela madrugada acabam por dissolver toda a sensação de paz e calmaria do vilarejo. O primeiro grito veio de um trabalhador ferroviário, que teve a garganta dilacerada por um monstro... O segundo partiu de uma mulher, que foi violentamente atacada dentro de seu próprio quarto. Misteriosamente, toda noite de lua cheia, um crime aterrorizante paira pelo local e todos se perguntam quem será a próxima vítima...


Quando a lua brilha e sobe pelo céu, gritos inumanos ecoam pelo vento e uma nuvem paralisante de medo agasalha a madrugada... Pela manhã, em meio a uma trilha de sangue, surgem pegadas de um monstro cruel, do qual a fome nunca é saciada...

Escrito em 1983 por Stephen King e conhecido popularmente no Brasil pelo filme "Bala de Prata", A Hora do Lobisomem é um livro curto, compacto e extremamente intenso. Dividido em doze capítulos, sendo que cada um deles correspondem a um mês do ano (iniciando em janeiro e terminando em dezembro, respectivamente) e norteado por cenas um tanto cruas quanto indigestas, o enredo nos traz a nata do terror de King mesclada com todo o sarcasmo e ironia do autor que os fãs já conhecem. Contando com poucos personagens e com um nível avassalador de ação, a trama é toda narrada em terceira pessoa e consegue nos envolver em uma verdadeira bruma de terror e suspense.

Não vou falar muito dos personagens para não ofuscar o brilho da obra, visto que detalhes maiores a respeito deles podem prejudicar a leitura, mas tive a impressão de que eles não passam de meros figurantes em vista de toda a potência e fúria da besta lupina que aterroriza a cidade. Achei a figura do reverendo Lowe bastante enigmática e creio que, por meio dele, King quis fazer uma crítica velada ao falso moralismo religioso. O pequeno Martin é um outro personagem que merece destaque, graças ao seu desprendimento, autossuficiência e rebeldia.

"Lá fora, as pegadas da criatura são cobertas pela neve, e o uivo do vento parece selvagem de prazer. Não tem nada de Divino ou de Luz naquele som insensível: só há o inverno sombrio e o gelo escuro. O ciclo do Lobisomem começou."

Resumidamente, A Hora do Lobisomem é um livro indispensável na estante de todos aqueles que apreciam a obra de King e condensa em suas poucas páginas o mais puro e clássico terror que consagrou o autor. Com uma riqueza de detalhes surpreendentes e uma trama onde nada, na verdade, é o que parece ser, a narrativa nos traz um leque de críticas sociais por trás da fantasia do lobisomem, mostrando pessoas que se vestem do véu da religião para camuflar os seus maiores pecados e também que a força, a destreza e a inteligência vêm daqueles que imaginamos ser os mais frágeis e inofensivos. Em 1985, foi feita uma adaptação cinematográfica da obra, intitulada"Bala de Prata". Praticamente um clássico das tardes televisivas, o filme foi muito bem feito (a julgar pelos efeitos especiais daquela época) e o enredo foi conduzido de forma sincronizada, tornando os detalhes da obra de King simplesmente memoráveis. A capa do livro é hard cover e nos traz o desenho de um lobisomem em alto relevo e a diagramação está bem caprichada, com fonte em bom tamanho, belíssimas ilustrações de Bernie Wrightson no miolo do livro, revisão de qualidade e, nas páginas finais, lindos desenhos de quatro ilustradores brasileiros sobre as suas cenas preferidas da obra. Recomendo, com certeza!

Confira o trailer do filme Bala de Prata:



4 comentários:

  1. Oie Nessa =)

    Apesar das obras do King serem muito aclamadas, eu continuo passando "longe" dos livros dele. rs...

    Só de ler a sua resenha fiquei arrepiada. XD

    Beijos;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.


    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa,
    Eu amo essas edições do King, mas as histórias não são para mim. Até desisti já, rs.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nessa, tudo bem?
    É sempre bom ler uma obra do King, curti a dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  4. Olá Nessa,


    A cada resenha que eu leio dos livro do Stephen King eu fico envergonhado por ainda não ter lido nada dele ainda...kkk...mas esse dia vai chegar...abraço.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir