23/06/2019

Resenha: Baía dos Suspiros - Nora Roberts

Título original: Bay of sighs
Gênero: Romance
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Classificação: 4/5
Comprar: Saraiva
Em Baía dos Suspiros, segundo volume da trilogia Os Guardiões, de Nora Roberts - autora com mais de 500 milhões de livros vendidos - conhecemos a história de amor de Sawyer e Annika. Tal como no livro anterior, a parte sobrenatural acabou tirando o brilho do romance da trama e os personagens não foram tão bem desenvolvidos quanto eu gostaria.

Para celebrar o trono de sua nova rainha, as deusas da lua criaram as estrelas de fogo, água e gelo. Mas Nerezza, a deusa da escuridão, enciumada e possessa de inveja, as fez cair do céu, o que põe em risco o destino de todos os mundos. Os seis guardiões, formados respectivamente por três homens e três mulheres, seguem unidos com o propósito de encontrar estas estrelas.

Graças aos poderes de sua bússola mágica, o viajante do tempo Sawyer King os transporta para a Ilha de Capri, onde se encontra a Estrela de Água. Mais do que nunca, eles agora irão precisar da ajuda da sereia Annika. Ainda tentando se adaptar a este mundo, ela é dona de uma beleza e pureza ímpares, tal como de lealdade e cumplicidade para com os seus amigos. Sawyer logo se encanta com o seu espírito alegre e cheio de vida, mas Annika precisa voltar para o mar em breve e ele sabe que, se se deixar envolver pela doce sereia, nenhuma bússola será capaz de mantê-lo em solo firme...

Paralelamente a isso, Nerezza está furiosa com a sua primeira derrota e planeja uma vingança ainda mais maligna e tenebrosa. Apesar de ter perdido uma estrela para os guardiões, ainda há muito tempo para recuperá-la, enquanto ela forja uma arma ainda mais letal e inimaginável...

Baía dos Suspiros segue dando sequência a trama iniciada em Estrelas da Sorte, desta vez, focando na história de amor de Annika e Sawyer. Nora Roberts usou e abusou da magia para compor o enredo, o que acabou deixando o romance dos personagens em segundo plano e até mesmo sufocado em meio aos acontecimentos da trama. Gostei do casal de protagonistas, mas achei a inocência de Annika exagerada demais e até mesmo uma espécie de subterfúgio para ofuscar a falta de desenvolvimento em torno da personagem. Sawyer tem os seus encantos e o fato de se sacrificar quantas vezes forem necessárias para salvar a mulher que ama se mostrou uma de suas melhores qualidades no enredo. Narrado em terceira pessoa com um pano de fundo espetacular e uma cadeia sobrenatural bem arquitetada, o livro tem grandes atrativos, mas nada excepcional ou que até mesmo difira dos demais romances de Nora Roberts.

Annika é uma das personagens mais exóticas dos guardiões e aquela que está experimentando tudo pela primeira vez, com todas as suas nuances e sabores. Entretanto, ao mesmo tempo em que ela se mostra uma mulher forte, dedicada e leal aos amigos, exala uma inocência exagerada que destona completamente com a sua caracterização de guerreira. Faltou uma dosagem adequada por parte da autora no que concerne a pureza e ingenuidade e tais elementos acabaram por deixar a personagem inconsistente e morna na trama. Seu romance com Sawyer não foi tão bem desenvolvido quanto eu gostaria, mesmo mostrando a série de sacrifícios que o casal enfrenta para vivenciar este amor.

Sawyer se encanta por Annika logo pela primeira vez que a vê, mas reluta a nutrir este sentimento, afinal eles pertencem a mundos completamente diferentes e uma hora ou outra terão que se separar. A história que narra como ele se tornou um viajante do tempo é bem interessante e tem profundo significado na trama, o que não podemos dizer o mesmo de seu romance com a sereia. Por mais que ele enfrente inúmeras crueldades e se mostre capaz dos maiores sacrifícios pela mulher que ama, o romance acabou sendo ofuscado pela enxurrada de elementos sobrenaturais que permeiam o livro.

Em suma, Baía dos Suspiros segue o mesmo ritmo de Estrelas da Sorte, tanto na construção do enredo quanto no desenvolvimento dos personagens. Por mais que eu tenha gostado do livro e de todo o misticismo criado pela autora, algumas coisas me incomodaram ao longo da leitura, especialmente o excesso de ingenuidade de Annika e a falta de um romance mais intenso. A capa é muito bonita e nos traz a imagem de uma moça apreciando o mar azul de uma ilha deserta e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Apesar das ressalvas, não deixo de recomendar.

Confira resenha do volume anterior da trilogia Os Guardiões:

►ESTRELAS DA SORTE


4 comentários:

  1. Os livros da Nora são muito bonitos, esse já está na minha lista!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  2. a autora é tao famosa e acredita que nunca li os romances dela? gostei mt de conhecer esse livro

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Olá Nessa, tudo bem?

    Gostei demais da resenha a a história parece muito interessante, como já mencionei aqui, preciso conhecer a escrita da autora, abraço.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Nessa,
    Eu não sou uma fã da Nora. Infelizmente, nenhum livro dela que eu li consegui me envolver, então fico com medo de arriscar mais uma série dela e cair do cavalo, rs.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir