07/09/2019

Resenha: Sangue por Sangue - Ryan Graudin

Título original: Blood for Blood
Gênero: Segunda Guerra Mundial
Páginas: 472
Editora: Seguinte
Classificação: 5/5
Comprar: Saraiva
Em Sangue por Sangue, segundo volume da duologia Lobo por Lobo, da norte-americana Ryan Graudin, temos uma história repleta de adrenalina, perigos e com um desfecho estarrecedor. Os personagens continuam fortes e determinados, em especial Yael e a trama se mostra cada vez mais sombria, ardilosa e intrigante.

Yael não se sagrou a campeã do Tour do Eixo graças ao genioso corredor Luka Löwe, mas cumpriu a promessa que fez para a resistência, ou seja, atirar em Adolf Hitler durante o Baile da Vitória, fazendo com que o mundo inteiro assistisse a morte do Führer por meio das câmeras. O problema é que, logo após o disparo, ela percebeu que o alvo de seus tiros era um metamorfo assim como ela e que Hitler ainda continuava vivo em algum lugar da Germânia.

Entretanto, para o resto do mundo, a ex-prisioneira cometeu um atentado contra a vida do Terceiro Reich e está sendo procurada viva ou morta pelos arianos. Como estava camuflada na pele da corredora Adele Wolfe quando atirou no líder nazista, Yael acabou colocando em risco a vida de outras pessoas que não estavam ligadas à resistência, tal como Felix Wolfe, gêmeo de Adele e o próprio Luka, que se vêem obrigados a fugir junto com a audaz rebelde.

Tal grupo 'inusitado" precisa não somente escapar das garras dos agentes da suástica no Japão como também chegar ao quartel-general da resistência na Germânia, o único lugar que se mostra seguro para eles. A jornada do trio é árdua e envolve o perigo da travessia em meio aos soldados soviéticos, que não simpatizam nem um pouco com tipos como o de Felix e de Luke. Porém, Yael irá receber uma surpresa inusitada ligada ao seu passado, que irá lhe dotar ainda mais de força, garra e determinação. Em meio a batalhas sangrentas, disfarces esfuziantes e traições inesperadas, a jovem metamorfa irá conhecer ainda mais o seu real valor, além de descobrir que os tempos difíceis não vêm acompanhados somente de dor e lágrimas...

Sangue por Sangue fecha a duologia de Ryan Graudin com chave de ouro, mantendo o mesmo ritmo de outrora e aumentando ainda mais a nossa admiração por suas personagens. Tal como o próprio título sugere, trata-se de uma trama sangrenta e quase épica, envolta em uma verdadeira conspiração para deter Hitler e seus asseclas em um episódio tão sombrio de nossa história. Narrado em terceira pessoa de forma enérgica e repleta de adrenalina, o enredo te conquista do início ao fim e nos comove com a bravura e força de seus protagonistas.

"De todas as almas que ele já havia encontrado, a dela era a mais radiante. Tinha a bravura de Cem Cruzes de Ferro derretidas e forjadas em algo mais puro e uma coragem não corroída pela crueldade."

Yael é uma personagem forte, determinada, brava e guerreira. Sobrevivente não só dos campos de concentração como também de experiências maquiavélicas promovidas pelo Anjo da Morte, a jovem metamorfa é uma das armas mais mortais e eficazes da resistência para combater Hitler e sua corja. Ela se mostra uma mulher de personalidade e uma amiga leal, protegendo aqueles que ama com unhas e dentes, quantas vezes forem necessárias. O que ela não esperava era que, em meio a tanta carnificina e sangue, fosse encontrar o grande amor de sua vida. E, para completar as alegrias de seu tão sofrido coração, uma personagem do passado - que até então ela julgara estar morta - volta para a sua vida e também abrilhanta a sua grande batalha.

"Saber quando confiar em alguém não era uma ciência exata. Era uma equação misteriosa, feita de fios e intuições."

Luka foi um dos personagens que mais me surpreenderam na trama. No livro anterior, ele me passou uma impressão bem negativa, mas aqui pude conhecer melhor o seu passado, sua dores e tudo aquilo que moldou e forjou o seu caráter. Ele não só se sobressaiu no livro, como também ostentou uma postura nada menos que heróica. Por sua vez, Felix se mostrou um personagem fraco, altamente manipulável e me decepcionou bastante com suas atitudes. Mesmo tomando as decisões mais acertadas ao longo do enredo, sua postura foi muito frustrante neste desfecho final da duologia.

Resumidamente, Sangue por Sangue é um livro indescritivelmente original, cheio de embasamento histórico e com personagens fortes e extremamente multifacetados. O enredo de Ryan Graudin é nada menos do que espetacular e nos traz uma visão abrangente sobre a Segunda Guerra Mundial e como houveram pessoas dispostas a arriscar tudo - até mesmo suas próprias vidas - para combater o nazismo e seus horrores. A capa segue o mesmo padrão da anterior, desta vez permeada por balões carregando sobreviventes e com uma textura levemente aveludada e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

Confira a resenha anterior da duologia:

►LOBO POR LOBO


3 comentários:

  1. Oi Nessa,
    Essa duologia não havia chamado minha atenção até eu ler resenhas tão emolgadagas sobre as obras. Fui surprendida! rs
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa,
    Sempre vejo comentários positivos desta duologia e morro de curiosidade para ler. O enredo parece bom.
    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oiii Nessa

    Todo mundo elogia demais essa dualogia, da autora ja li Cidade Murada e gostei bastante, foi original e envolvente, acho que esta dualogia tem tudo pra me conquistar também.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir